Educação Filosófica: Método e Recepção

  • Valéria Arias Universidade Federal do Paraná - UFPR
  • Geraldo Balduino Horn Universidade Federal do Paraná - UFPR

Resumo

Este artigo investiga e problematiza a categoria método filosófico. Procura entender a relação entre o modus operandi da filosofia e da educação filosófica a partir de uma perspectiva teórica marxista. Trata-se de uma interpretação ontológica dos sentidos gerais do método e da forma como se dá o entendimento acerca da produção e da reprodução do conhecimento filosófico. Duas questões são consideradas centrais na análise proposta: (a) qualquer recepção filosófica só é possível no horizonte da epistemologia própria da filosofia e, com isso, descartam-se, de antemão, o “empiricismo filosófico” e a redução procedimentalista da filosofia e, (b) toda filosofia tem um caráter intrinsecamente social e, com isso, descartam-se de antemão as filosofias subjetivistas e orgânicas a interesses privados e/ou estritamente pontuais. As interlocuções principalmente com Marx, Lukács, Gramsci e Heller permitem diagnosticar e aprofundar os principais elementos que diferenciam o método e a estrutura de produção de conhecimento da educação filosófica em comparação às metodologias “procedimentalistas” e “empiricistas”.

Biografia do Autor

Valéria Arias, Universidade Federal do Paraná - UFPR

Atualmente é docente de Filosofia e de História no Colégio Estadual do Paraná e Coordenadora Adjunta do Núcleo de Estudos sobre o Ensino de Filosofia- UFPR.

Geraldo Balduino Horn, Universidade Federal do Paraná - UFPR

Líder do Grupo de Pesquisa sobre o Ensino de Filosofia/Educação Filosófica certificado pela UFPR e credenciado no CNPq (desde outubro de 2009). Coordena o programa acadêmico de Mestrado e Doutorado em Educação - PPGE/UFPR (gestão 2017-2018). Coordena o GT Filosofia da Educação da ANPED SUL (gestão 2018-2020).

Publicado
2018-11-27