Relação Teoria e Prática na Formação Inicial e Continuada da Docência em História – uma Experiência de Pesquisa

  • Jorge Luiz da Cunha Professor Titular da Universidade Federal de Santa Maria - UFSM. Integra o quadro docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UFSM, mestrado e doutorado; Programa de Pós-Graduação em História - PPGH/UFSM, mestrado e doutorado; também é docente do Mestrado Profissional em Ensino de História - Prof História /UFSM (UFRJ). É coordenador do Núcleo de Estudos sobre Memória e Educação - CLIO, criado em 1996, e registrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq.
  • Juliano de Melo da Rosa Instituto Federal Farroupilha, Campus Júlio de Castilhos.
  • Marilú Favarin Marin

Resumo

Uma vez que a Educação, hoje, ainda se pauta em condições instrumentais mínimas requeridas pelo contexto mundial, que condições seriam necessárias para que cidadãos e cidadãs possam desejar, participar e atuar para transformar este contexto? Ou, quais são os novos paradigmas científicos mais adequados a uma prática mais condizente com os atuais modelos teóricos, especialmente os vinculados ao ensino de história? Ou ainda, quais seriam as novas propostas educacionais que poderiam apontar para mudanças significativas nesse novo cenário social, político e culturais? Na busca de respostas para estas questões foi desenvolvido o projeto de pesquisa. A relação teoria e prática na formação inicial e continuada de docentes em história: o caso da UFSM e escolas da educação básica, na região central do Rio Grande do Sul, à luz da concepção de didática da história e educação histórica, entre os anos de 2011 e 2013, pelos participantes dos grupos de pesquisa JANUS -Grupo de Investigação e Produção em Educação Histórica, História e Educação e CLIO - Núcleo de Estudos sobre Memória e Educação, vinculados a unidades de ensino da Universidade Federal de Santa Maria – UFSM, cujo desenvolvimento e resultados são uma contribuição para o ensino da história na América Latina.

Palavras-chave: Ensino de história. Docência em História. Pesquisa sobre teoria e prática.

Biografia do Autor

Jorge Luiz da Cunha, Professor Titular da Universidade Federal de Santa Maria - UFSM. Integra o quadro docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UFSM, mestrado e doutorado; Programa de Pós-Graduação em História - PPGH/UFSM, mestrado e doutorado; também é docente do Mestrado Profissional em Ensino de História - Prof História /UFSM (UFRJ). É coordenador do Núcleo de Estudos sobre Memória e Educação - CLIO, criado em 1996, e registrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq.

É Professor Titular da Universidade Federal de Santa Maria - UFSM. Integra o quadro docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UFSM, mestrado e doutorado; Programa de Pós-Graduação em História - PPGH/UFSM, mestrado e doutorado; também é docente do Mestrado Profissional em Ensino de História - ProfHistória /UFSM (UFRJ). É coordenador do Núcleo de Estudos sobre Memória e Educação - CLIO, criado em 1996, e registrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq. No campo da pesquisa dedica-se a temas relacionados com a História da Educação, Ensino da História/Educação Histórica, História das Migrações, História Oral e Narrativas (Auto)Biográficas. Possui Graduação - Licenciatura Curta e Licenciatura Plena em Estudos Sociais, História e Geografia pelas Faculdades Integradas de Santa Cruz do Sul - FISC (1982), Mestrado em História Social do Brasil pela Universidade Federal do Paraná - UFPR (1988) e Doutorado em História Medieval e Moderna Contemporânea pela Universität Hamburg, Alemanha (1994). Atuou como docente e pesquisador nas Faculdades Integradas de Santa Cruz do Sul - FISC, depois Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC, de 1982 a 1995, onde foi criador e primeiro coordenador do Centro de Documentação - CEDOC. Na FISC/UNISC exerceu também as funções de Diretor do Centro de Ciências Sociais e Diretor da Escola Educar-se, Escola de Aplicação da UNISC. Em 1996 ingressou na Universidade Federal de Santa Maria - UFSM. Nesta Instituição foi Diretor do Centro de Educação - CE, de 1997 a 2005; Pró-Reitor de Graduação, de 2005 a 2010; Coordenador Geral do Programa de Apoio a Expansão e Reestruturação das Universidades Federais - REUNI, de 2006 a 2010; Assessor Especial do Gabinete do Reitor de 2010 a 2012; e Ouvidor Geral da UFSM de 2012 a 2013. Também foi membro da Comissão do Ministério da Educação - MEC, de Implantação da Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA, de 2006 a 2008. Em 2014 foi convidado pelo Ministério das Relações Exteriores do Brasil, através da Embaixada do Brasil no México, para inaugurar Cátedras de Cultura Brasileira nas Universidades, Benemérita Universidad Autónoma de Puebla - BUAP e Universidad Autónoma de Tlaxcala - UATx, no México. Desde 2011 faz parte da Comissão Mista DAAD/CAPES/CNPq para seleção de bolsistas para a República Federal da Alemanha. É também Professor Pesquisador e membro do Comitê História, Região e Fronteira da Associação das Universidades do Grupo Montevidéu-AUGM. Desde dezembro de 2016 é presidente da Associação Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica ? BIOGRAPH.

 
Juliano de Melo da Rosa, Instituto Federal Farroupilha, Campus Júlio de Castilhos.

Possui graduação em Educação Física e especialização em Esporte Escolar pela Universidade da Região da Campanha (2001e 2002), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (2006), doutorado em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria. Atualmente é professor do Instituto Federal Farroupilha (IFF), campus Júlio de Castilhos. Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Física, Educação e complexidade, História da Educação.

Referências

BRASIL, Ministério da Educação, Universidade Federal de Santa Maria. Projeto político pedagógico do curso de história da UFSM. Objetivos, fls.05,v.1. Santa Maria, UFSM, 1991 (impresso).

______,Ministério da Educação, Universidade Federal de Santa Maria. Projeto político pedagógico do curso de história da UFSM.Apresentação, fls. 04, vol. 1. Santa Maria, UFSM, 2004 (impresso).

CAMBI, Franco. História da pedagogia. São Paulo, UNESP, 1999.

CARR, Wilfred; KEMMIS, Stephen. Becoming Critical: Education, Knowledge and Action Research. Deakin, Deakin University Press, 1986.

______. Teoria crítica de la enseñanza: lainvestigación-acción en la formación del profesorado. Barcelona, Martinez Roca, 1988.

CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber: elementos para uma teoria. Porto Alegre, Artes Médicas Sul, 2000.

CHEVALLARD, Yves. La Transposition Didactique: Du Savoir Savant au SavoirEnsigné. Grenoble, La pensée Sauvage. 1991.

______. La transposición didáctica. Del saber sabio al saber enseñado. Buenos Aires, Aique, 2000. Tradução Claudia Gilman.

COSTA, Sylvio Gadelha da. De fardos que podem acompanhar a atividade docente ou de como o mestre pode devir burro (ou camelo). In: Revista Educação & Sociedade. Campinas, vol. 26, nº 93, set./dez. 2005, p. 1257-1272.

CUNHA, Jorge Luiz da; MARIN, Marilú Favarin; ROSA,Juliano de Melo da.Projeto de pesquisa: A relação teoria e prática na formação inicial e continuada de docentes em história: o caso da UFSM e escolas da educação básica, na região central do Rio Grande do Sul, à luz da concepção de didática da história e educação histórica. Santa Maria, UFSM, 2013 (impresso).

DESGAGNÉ, Serge. La position du chercheur en recherche collaborative: illustration d’unedémarche de médiation entre culture universitaire et culture scolaire. Actes du Colloque de l’Association pour la recherche qualitative: l’attitude du chercheur en recherche qualitative 65ième congrès de l’Association canadienne-française pour l’avancement des sciences (ACFAS),Trois-Rivières, 12-16 mai 1997. Revue de l’Association pour la recherche qualitative, v.18.

______. Le concept de recherche collaborative: l´idée d´um rapprochement entre chercheurs universitaires et praticiens enseignants. Revue des sciences de l´education, v. 23, nº 2, Montreal, 1997a, p.371-393.

______. La recherche collaborative: nouvelle dynamique de recherche em éducation. In: ANADÓN, Marta (dir.); L´HOSTIE, Monique (coll.). Nouvelles dynamiques de recherche em éducation. Québec, Université Laval, p.51-96.

EISNER, Elliot W. The enlightened eye. Qualitative inquiry and the enhancement of educational practice. Trenton, Prentice Hall, 1990

______. El ojo ilustrado. Indagación cualitativa y mejora de la práctica educativa. Barcelona: Paidós, 1998.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.

______. Educação como prática de liberdade. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1994.

IBIAPINA, Ivana Maria de Melo. Pesquisa colaborativa. Investigação, formação e produção de conhecimentos. Brasília, Liber Livro, 2008.

MARIN, Marilú Favarin. A transição democrática e os obstáculos ao desenvolvimento de uma proposta de ensino de história no cotidiano escolar de Santa Maria /RS. Dissertação de Mestrado em Educação UFSM. Santa Maria, 1997 (impresso).

______. Relação teoria e prática na formação de professores de história: experiências de laboratórios de ensino no Brasil e da Associação de Professores de História de Portugal (1980-2010). Tese de Doutorado em Educação UFPR. Curitiba, 2013 (impresso).

MARIOTTI, Humberto. As paixões do ego: complexidade, política e solidariedade. São Paulo, Palas Athena, 2000.

MARTINS, Estevão C. de Rezende. Teoria e filosofia da história. Contribuições para o ensino da história. Curitiba, W.A. Editores, 2017.

MORAES, Maria Cândida. O paradigma educacional emergente. Campina, Papirus, 2004.

OLIVEIRA, Thiago Augusto Divardim de. A relação ensino e aprendizagem como práxis: a educação histórica e a formação de professores. Dissertação de Mestrado em Educação UFPR. Curitiba, 2012 (impresso).

RÜSEN, Jörn. Historik. Theorie der Geschichtswissenschaft. Köln,Weimar, Wien, Böhlau Verlag, 2013.

______. Teoria da história. Uma teoria da histórica como ciência. Curitba, UFPR, 2015. Tradução de Estevão C. de Rezende Martins.

SCHMIDT, Maria Auxiliadora Moreira dos Santos; Isabel BARCA; MARTINS, Estevão de Rezende (orgs), Jörn Rüsen e o ensino de história. Curitiba, UFPR, 2010.

THEOBALD, Henrique Rodolfo. A experiência de professores com ideias históricas: o caso do “Grupo Araucária”. Dissertação de Mestrado em Educação
UFPR. Curitiba, 2007 (impresso).
Publicado
2018-04-16