Trajetórias do Ensino de História no Brasil e os Manuais Didáticos de História da América

  • Maria Auxiliadora Schmidt Professora e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Paraná. Curitiba/Paraná/Brasil. Coordenadora do LAPEDUH/PPGE/UFPR
  • Tânia Braga Garcia Professor Associado da Universidade Federal do Paraná. É líder do Grupo Didática, práticas escolares e publicações didáticas (CNPq), que tem projetos financiados e bolsas de pesquisa de diferentes agências de fomento. Coordena o Núcleo de Pesquisas em Publicações Didáticas/UFPR (www.nppd.ufpr.br) cujas atividades incluem o estudo, a avaliação e a produção de materiais e manuais didáticos destinados a alunos e a professores. É pesquisadora e membro diretor da International Association for Research on Textbooks and Educational Media (IARTEM)

Resumo

O objetivo deste artigo, é indicar a existência, no Brasil, de uma “tradição inventada” sobre o significado do ensino de história e os sentidos atribuídos à História da América. A partir destas reflexões, levantar algumas possibilidades de sua (re) invenção, tendo como referência a análise de manuais didáticos publicados em diferentes momentos históricos. A partir de estudos realizados por Raimundo Cuesta Fernandez (1997;1998) acerca da história das disciplinas escolares e de Schmidt (2012) acerca da periodização para a história do ensino de história no Brasil, foi sugerido um percurso histórico do ensino de história da América no Brasil, bem como os elementos que o constituem e o caracterizam, no e a partir da construção do código disciplinar da História na sociedade brasileira. Ademais, vale destacar, que o ensino de História da America pode e será analisado a partir dos diferentes momentos da construção deste “código disciplinar”, face ao desafio proposto por Antônio Viñao – Se, ao invés de continuar analisando as disciplinas escolares através dos livros de texto, não seria preferível analisar esses através da história das disciplinas? (VIÑAO, 2008).

Palavras-chave: Ensino de História da América. Manuais Didáticos. Ensino de História.

Biografia do Autor

Maria Auxiliadora Schmidt, Professora e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Paraná. Curitiba/Paraná/Brasil. Coordenadora do LAPEDUH/PPGE/UFPR
possui graduação em História pela Universidade Federal do Paraná (1973), graduação em Comunicação pela Universidade de Brasília (1968), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Paraná (1985), doutorado em História pela Universidade Federal do Paraná (1997) , pós-doutorado em Didática da História pela Universidade Nova de Lisboa-Portugal, 2001 (Bolsa Capes).e pós-doutorado em teoria da história pela Universidade de Brasília (Bolsa Cnpq).Atualmente é professora associada IV da Universidade Federal do Paraná, atuando na graduação nas disciplinas Metodologia e Prática de Ensino de História, e no pós-graduação, na Linha de Pesquisa Cultura, Escola e Ensino, nas disciplinas Educação Histórica I e II e Cultura e Escola, os fundamentos do saber escolar.. .Na mesma Universidade coordena o Laboratório de Pesquisa em Educação Histórica-LAPEDUH (www.lapeduhwordpress.com), articulado ao Programa de Pós-Graduação,em Educação,que tem, entre seus objetivos, consolidar grupo de pesquisa no campo da Educação Histórica, com ênfase em investigações relacionadas ao estudo da cultura histórica e consciência histórica.É líder do grupo de pesquisa Cnpq - Cultura, Práticas Escolares e Educação Histórica, certificado pela UFPR, desde 1999. É pesquisador participante na Universidade do Minho-Portugal, Universidade de Murcia-Espanha, no Centro de Consciência Histórica da University of British Columbia, consultor da Universidade Estadual de Londrina;presidente da Associação Iberoamericana de Educação Histórica (www.aipedhwordpress.com); pesquisador participante na Universidad de Barcelona, membro do conselho assessor da Editora Grao, Revista Iber, da Revista de Investigación Enseñanza de las Ciencias Sociales e da revista Proyecto Clio. Editora do periódico Educar em Revista (2011-2013), Editora da Revista de Educação Histórica, membro do conselho editorial da Editora da UFPR (2011-2014). Tem experiência na área de História e Educação, com ênfase em Educação Histórica e Ensino de História, atuando principalmente nos seguintes temas: educação histórica, didática da história, ensino aprendizagem , curriculos, manuais didáticos e formação de professor.de História. Editora do periodico Educar em Revista (2010-2013). Bolsista Produtividade 1B Cnpq. Projetos financiados pelo Cnpq, Capes e Fundação Araucária.
Tânia Braga Garcia, Professor Associado da Universidade Federal do Paraná. É líder do Grupo Didática, práticas escolares e publicações didáticas (CNPq), que tem projetos financiados e bolsas de pesquisa de diferentes agências de fomento. Coordena o Núcleo de Pesquisas em Publicações Didáticas/UFPR (www.nppd.ufpr.br) cujas atividades incluem o estudo, a avaliação e a produção de materiais e manuais didáticos destinados a alunos e a professores. É pesquisadora e membro diretor da International Association for Research on Textbooks and Educational Media (IARTEM)
Possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal do Paraná (1972), em Pedagogia Habilitação Supervisão Escolar pela Universidade Federal do Paraná (1980), mestrado em Educação pela Universidade de São Paulo (1996) e doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (2001). Atualmente é Professor Associado da Universidade Federal do Paraná. É líder do Grupo Didática, práticas escolares e publicações didáticas (CNPq), que tem projetos financiados e bolsas de pesquisa de diferentes agências de fomento. Coordena o Núcleo de Pesquisas em Publicações Didáticas/UFPR (www.nppd.ufpr.br) cujas atividades incluem o estudo, a avaliação e a produção de materiais e manuais didáticos destinados a alunos e a professores. É pesquisadora e membro diretor da International Association for Research on Textbooks and Educational Media (IARTEM). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino-Aprendizagem, atuando principalmente nos seguintes temas: didática e práticas escolares, materiais e manuais didáticos, formação de professores, educação histórica. Dedica-se também à temática da pesquisa educacional, investigando abordagens para o estudo do cotidiano escolar. Editora Adjunta da Educar em Revista, UFPR (2011-2013). É co-editora do IARTEM e-Journal desde setembro de 2013.

Referências

AQUINO, Rubin Santos Leão/ JESUS, Nivaldo/ OSCAR, Guilherme Pahl. História das Sociedades Americanas. Rio de Janeiro: Ed. Eu e Você, 1981.

ARANGUREN, C.Rincón. Crisis Paradigmática en la Enseñanza de la Historia: Una Visión desde America Latina. In. Revista de Teoria y Didáctica de las Ciencias Sociales. Mérida-Venezuela, Enero-Diciembre, n.7, p. 129-142, 2002.

BEIRED, J.L./GERAB, K./RESENDE, M.A.C. Os problemas do ensino de História da América. In. Perspectivas do Ensino de História. Anais. São Paulo: USP/FEUSP, 1988, p.210-228.

BITTENCOURT, Circe. O percurso acidentado do ensino de História da América. In.IOKOI, Z.M./BITTENCOURT, C.M. Educação na América Latina. São Paulo: Edusp, p.203-218, 1996.

BRASIL-MEC,Ed. Expressão e Cultura. Habilitações Profissionais no ensino do 2o. Grau. Diretrizes, normas, legislação,1972.

BRASIL. Secretaria de Educaçao Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Historia. 5a. a 8a. séries. Brasília: MEC/SEF, 1998.

DIAS, Maria de Fátima Sabino.Nacionalismo e estereótipos: a imagem sobre a América nos livros didáticos de História no Brasil. In. DIAS, M.F.S. (org.) História da América. Ensino, poder e identidade. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2004.

FENAME – Fundação Nacional de Material Escolar. Ministério da Educação e Cultura. História da América. Rio de Janeiro, 1971.

FERNANDEZ CUESTA, Raimundo. Sociogénesis de una disciplina escolar: la Historia. Barcelona: Ediciones Pomares-Corredor, 1997.

FERNANDEZ CUESTA, Raimundo. Clio en las aulas. La enseñanza de la Historia en España entre reformas, ilusiones y rutinas. Madrid: Akal, 1998.

GARCIA, Verena Radkau. Aprendizaje Histórico. In.SILLER, J.P./GARCIA, V.R. Identidad en el imaginario nacional. Reescritura y enseñanza de la historia. Puebla: Instituto de Ciencias Sociales y Humanidades./ Braunscheweig: Instituto
Georg-Eckert, p.279-294, 1998.

HOLLANDA, Guy de. Um quarto de século de programas e compêndios de História para o ensino secundário brasileiro. Rio de Janeiro: INEP-Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos, 1957.

HOBSBAWN, E. Introdução: A Invenção das Tradições. In. HOBSBAWN, E./RANGER, T. A invençao das tradiçoes. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.

INEP-Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos/MEC-Ministério de Educaçao e Cultura. Conferências Interamericanas de Educaçao. Recomendações.(1943-1963). Brasília:MEC/INEP, 1965.

LEITE, Miriam Moreira. O ensino da História.No primário e no ginásio. São Paulo: Cultrix, 1969.

NADAI, E. O Ensino de História na América Latina: Contrastes e confrontos. In.Perspectivas do Ensino de História. Anais.São Paulo: USP/FEUSP,1988, p.109.

ROCKWELL, Elsie. Caminos y rumbos de la investigación etnográfica en América Latina. Sesión de clausura del IX Seminario Interamericano de Investigación Etnográfica en Educación. México D.F., Octubre, 2000.

RUCH, Gastão. História da América. Rio de Janeiro: Ed.F.Briguet, 1932.

SEF – SECRETARIA DE EDUCAÇÃO INFANTIL E FUNDAMENTAL – Projeto de avaliação de livros didáticos de 1ª. a 8ª. série. Ministério da Educação. Disponível em http://www.mec.gov.br/sef/fundamental/avalidid.shtm.

SCHMIDT, Maria Auxiliadora Moreira dos Santos. História do ensino de história no Brasil: uma proposta de periodização. In. Revista História da Educação. V.16, n.37,maio/ago.2012, p.73-92.

SILVA, Joaquim. História da América (para a 2ª. Série ginasial). Rio de Janeiro:Companhia Editora Nacional, 1952.

VIÑAO, Antonio. A história das disciplinas escolares. In. Revista Brasileira de História da Educação. Maringá: SBEH, n.18, set./dez.2008, p.173-215. Disponível em rbe.sbhe.org.br. Acesso em 20 de maio de 2017.
Publicado
2018-04-16