O Movimento dos Arte-educadores na tessitura dos caminhos das políticas educacionais

  • Josélia Schwanka Salomé Universidade Tuiuti do Paraná - UTP

Resumo

Este artigo discute o Movimento dos Arte-Educadores em prol da arte na educação face as políticas públicas instauradas na década de 1980, apresentando as concepções de arte e educação debatidas nesses encontros.

Palavras-chave: Arte-educação. Política educacional. Educação estética.

Biografia do Autor

Josélia Schwanka Salomé, Universidade Tuiuti do Paraná - UTP
Doutora em Artes pelo Instituto de Artes da UNICAMP - orientador professor Dr. João-Francisco Duarte Júnior (2011), Mestrado em Educação pela Universidade Tuiuti do Paraná - UTP (2004); Mestrado em Engenharia da Produção - Gestão do Conhecimento pela UFSC (2000); Especialização em Arte e Educação pela Universidade Tuiuti do Paraná - UTP (1993); graduação em Educação Artística pela Universidade Federal do Paraná - UFPR (1993), graduação em Dança - Bacharelado e Licenciatura, pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUC/PR (1988). É professora Adjunto na Universidade Tuiuti do Paraná (UTP) desde abril de 1994 onde atuou nas coordenações dos cursos de graduação em Artes Visuais (janeiro 2005 - 2013) e Tecnologia em Fotografia (janeiro 2009 -2013). Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação, Linha de pesquisa: Políticas Públicas e Gestão da Educação. Coordenadora de Pesquisa, Iniciação Científica e Editoração Científica da Universidade Tuiuti do Paraná desde setembro de 2014. É Professora Visitante na Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG. Membro da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas ANPAP- comitê Educação em Artes Visuais (CEAV) e da ANPED - Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação. Tem experiência nas áreas de Educação e Artes desenvolvendo pesquisas sobre Educação Estética, Arte e Políticas Educacionais.

Referências

BARBOSA, Ana Mae Tavares Bastos. Arte-educação: conflitos e acertos. 3ª edição. São Paulo : Max Limonad, 1988.
CARTA - DOCUMENTO DE POÇOS DE CALDAS – (julho de 1988). Disponível em: Acesso
em:28 de julho de 2009.
CARTA - MANIFESTO DIAMANTINA - (julho de 1985). Disponível em:<
www.faeb.art.br/textos/documentos/manifestodiamantina > Acesso em: 24 de julho de 2009.
CARTA PROTESTO DE BRASÍLIA – (dezembro de 1986). Disponível em: Acesso em: 24 de julho de 2009.
CARTA - SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO ATRAVÉS DA ARTE –
SOBREART – (dezembro de 1986). Disponível em: Acesso em:24 de julho de 2009.
DUARTE JR, João-Francisco. Fundamentos estéticos da educação. – 2ª ed. –Campinas, SP : Papirus, 2005.
ENGUITA, Mariano Fernandez. Trabalho, escola e ideologia: Marx e a crítica da educação. Porto Alegre, RS: Artes Médicas, 1993.
FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra,
1987.
HARPER, B. et al. Cuidado, escola! Desigualdade, domesticação e algumas saídas. São Paulo : Brasiliense, 1980.
LEMINSKI, Paulo. O indispensável in-útil. In: Anseios Crípticos. Curitiba: Editora Criar, Curitiba - PR, 1986.
RELATÓRIO da Câmara de Ensino de 1º e 2º Graus, Brasília, 1987.
VÁZQUEZ, Adolfo. Sanches. As idéias estéticas de Marx. trad. Carlos Nelson Coutinho. 2ª ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1978.
Publicado
2016-12-19