O jogo de linguagem de wittgenstein como exercício para olhar a interatividade na modalidade de ead

  • Heloisa Helena Duval de Azevedo Professora pesquisadora da Universidade Federal de Pelotas.

Resumo

O jogo da linguagem de Wittgenstein é utilizado como uma categoria para pensar a interatividade na modalidade a distância. Para isso, temos como primeiro movimento de escrita o exercício de traçar uma linha temporal que remonta à Grécia antiga e vai até nossos dias apresentando um sucinto histórico da filosofia da linguagem. Um segundo momento discorre sobre a relação entre interatividade e aprendizagem colaborativa na formação de professores na modalidade de EaD. E, como terceiro e último movimento, apresentamos o jogo de linguagem como categoria para pensar a EaD e a interatividade, bem como suas relações.

Biografia do Autor

Heloisa Helena Duval de Azevedo, Professora pesquisadora da Universidade Federal de Pelotas.
Possui graduação em Filosofia pela FAFIMC (1996), mestrado (2001) e doutorado (2005) em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Atualmente é Professora Adjunta da Faculdade de Educação na Universidade Federal de Pelotas. Tem experiência na área de Filosofia, Educação e Educação a Distância. Os seguintes temas são trabalhados: filosofia da educação, filosofia da linguagem e educação, educação popular, educação a distância, filosofia contemporânea, metodologia científica, e educação do campo. É líder do grupo de pesquisa EADEM (Educação Interativa, Estudos e Movimentos).

Referências

AZEVEDO, Heloisa Helena Duval de. Interfaces: temas de educação e filosofia. Pelotas: Editora e Gráfica Universitária, 2009.

CASTRO, Claudia Rodrigues. A interação como instrumento decisivo para
o desenvolvimento de cursos a distância. Disponível em: cibersociedade.net/congresso2006/gtscomunicacio.phpllengua=p8=10127>. Acesso em: 12/04/2009.

FAINHOLC, Beatriz. La interactividad em la educación a distancia. Buenos
Aires: Paidós, 2006.

LEMOS, L. M., André. Anjos interativos e retribalização do mundo: sobre
interatividade e interfaces digitais. Disponível em: . Acesso em: 12/02/2011.

LEVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.
SILVA, Marco. Que é Interatividade? In: Boletim Técnico do Senac. Rio de Janeiro, v. 24, n. 2 maio/ago, 1998.

SILVA, Marco. Um convite à interatividade e à complexidade: novas perspectivas comunicacionais para a sala de aula. In: GONÇALVES, Maria Alice Rezende (org.). Educação e cultura: pensando em cidadania. Rio de Janeiro: Quartet, 1999. p. 135-167.

WITTGENSTEIN, Ludwig. Investigações Filosóficas. Petrópolis: Vozes, 1998.
Publicado
2011-08-30