Entre a Lembrança e a Esperança: Política e Consciência Histórica de Jovens Brasileiros

  • Maria Auxiliadora Schmidt Universidade Federal do Paraná

Resumo

Segundo Rüsen (2010), a partir da vida prática são tomadas decisões permeadas por valores e a consciência histórica é o ponto de partida para mediar as relações entre os valores e a realidade no fluxo do tempo. Nesse sentido, ela realiza um caminho específico a partir das situações presentes na vida prática, porque é ela quem une passado e presente, dando perspectivas de futuro para agir na realidade, constituindo valores morais em um “corpo temporal”. Este trabalho apresenta resultados de uma pesquisa qualitativa que foi feita a partir dos pressupostos de Eisner (1998) com 61 estudantes brasileiros (de 13 a 16 anos) de baixa e média classe social, de uma escola pública de Curitiba, Paraná. Eles produziram uma narrativa a partir da seguinte questão – “Escreva a uma pessoa como você acerca de sua reflexão sobre: O altruísmo, o pensamento não efêmero e a diferença ainda têm lugar no mundo contemporâneo”? Os resultados demonstraram a existência de diferentes maneiras pelas quais os jovens relacionam o passado e o presente, bem como suas perspectivas de futuro.

Biografia do Autor

Maria Auxiliadora Schmidt, Universidade Federal do Paraná
possui graduação em História pela Universidade Federal do Paraná (1973), graduação em Comunicação pela Universidade de Brasília (1968), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Paraná (1985), doutorado em História pela Universidade Federal do Paraná (1997) e pós-doutorado em Didática da História pela Universidade Nova de Lisboa-Portugal, 2001 (Bolsa Capes).Atualmente é professor associado da Universidade Federal do Paraná, atuando na graduação nas disciplinas Metodologia e Prática de Ensino de História, e no pós-graduação, na Linha de Pesquisa Cultura, Escola e Ensino, nas disciplinas Educação Histórica I e II e Cultura e Escola, os fundamentos do saber escolar.. .Na mesma Universidade coordena o Laboratório de Pesquisa em Educação Histórica-LAPEDUH, articulado ao Programa de Pós-Graduação, que tem, entre seus objetivos, consolidar grupo de pesquisa no campo da Educação Histórica, com ênfase em investigações relacionadas ao estudo da cultura histórica e consciência histórica.É líder do grupo de pesquisa Cnpq - Cultura, Práticas Escolares e Educação Histórica, certificado pela UFPR, desde 1999. É pesquisador participante na Universidade do Minho-Portugal, no Centro de Consciência Histórica da University of British Columbia, consultor da Universidade Estadual de Londrina; coordenadora da Rede Iberoamericana de Pesquisadores em Educação Histórica, pesquisador participante na Universidad de Barcelona, membro do conselho assessor da Editora Grao, Revista Iber, da Revista de Investigación Enseñanza de las Ciencias Sociales e da revista Proyecto Clio. Editora do periódico Educar em Revista (2011-2013), Editora da Revista de Educação Histórica, membro do conselho editorial da Editora da UFPR. Tem experiência na área de História e Educação, com ênfase em Educação Histórica e Ensino de História, atuando principalmente nos seguintes temas: educação histórica, didática da história, ensino aprendizagem , curriculos, manuais didáticos e formação de professor.de História. Editora do periodico Educar em Revista (2010-2013). Presidente da Associação Iberoamericana de Pesquisadores em Educação Histórica-AIPEDH. Bolsista Produtividade 1B Cnpq. Projetos financiados pelo Cnpq, Capes e Fundação Araucária. Atualmente com bolsa de pós-doutorado senior na Universidade de Brasilia, sob a supervisão do Dr. Estevão Rezende Martins, periodo de 02 a 12 de 2016.

Referências

BARCA, I. Projeto consciência histórica: teorias e práticas II (PTDC/CED/72623)
Fundação para a Ciência e Tecnologia, Portugal, 2006.
EDU-ESTADÃO-Suplemento Especial do Jornal O Estado de S. Paulo. São
Paulo: Editora O Estado de S. Paulo, 31 de março de 2011.
EISNER, E. W. El ojo ilustrado: Indagación cualitativa y mejora de La práctica
educativa. Barcelona: Paidós, 1998.FLICK, U. Uma introdução à pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Bookman,
2004.
KOSELLECK, R. Futuro passado: para una semántica de los tiempos históricos.
Barcelona: Paidós, 1993.
MARTINS, E. de R. A exemplaridade da História: práticas e vivências do ensino.
In. MARTINS, I.C.; GOHL, J.W. História e Historiografia Brasileira. Anais do
III Colóquio Nacional de História e Historiografia no Vale do Iguaçu. União da
Vitória: 2008 PP.13-21
MÉSZÁROS, I. O desafio e o fardo do tempo histórico. São Paulo: Boitempo,
2007.
OAKESHOTT, M. Sobre a história: e outros ensaios. Rio de Janeiro: Topbooks,
2003.
POCHMANN, M. Os retrocessos do atual modelo. Le monde diplomatique
Brasil, São Paulo, n.12, ano 1, p. 4-5, jul. 2008.
RÜSEN, J. Razão histórica: teoria da história: os fundamentos da ciência da
história. Brasília: UnB, 2001.
______. O desenvolvimento da competência narrativa na aprendizagem
histórica: uma hipótese ontogenética relativa à consciência moral. In:
SCHMIDT, M.A.; BARCA, I.; MARTINS, E. R. Jörn Rüsen e o ensino de história.
Curitiba: Ed. da UFPR, 2010. p.51-78.
______. Aprendizagem histórica: fundamentos e paradigmas. Curitiba: W&A
Editores, 2012.
______. Jörn Rüsen e a didática da história. Curitiba: LAPEDUH/UFPR,
2013.
SCHMIDT, M. A. Jovens brasileiros e europeus: identidade, cultura e ensino
de história. Perspectiva: Dossiê Sociologia e Educação, Florianópolis, v. 20, n.
Especial, p.183-208, jul/dez 2002.
______. Hipóteses ontogenéticas relativas à consciência moral: possibilidades
da consciência histórica de jovens brasileiros. Educar em Revista: Dossiê:
História, Epistemologia E Ensino: Desafios de um Diálogo em Tempos de
Incertezas, Curitiba, n. 42, p.107-126, out/dez. 2011.
Publicado
2016-11-10