Consciência Histórica, Narrativa Histórica E A Inter-Relação Com O Ensino De História

  • Edinalva Padre Aguiar Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Resumo

O presente artigo apresenta uma discussão acerca da consciência histórica, narrativa histórica e a importância de ambas para o ensino e aprendizagem de História. Inicialmente levanta questões ontológicas e as discute sob o prisma da consciência e narrativa históricas. Ambas as categorias são amparadas teoricamente pelas proposições do historiador alemão Jörn Rüsen, para quem a consciência histórica desempenha a função precípua de servir como fator de orientação do agir humano no tempo. Igualmente importante para a compreensão da consciência histórica é a narrativa histórica – e as competências a elas correlatas – que, segundo o mesmo autor, representa sua forma de expressão e atribuição de sentido às ações. O texto finaliza defendendo o aprimoramento da consciência histórica como fator primordial do ensino e aprendizagem da História.

Biografia do Autor

Edinalva Padre Aguiar, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Doutora em Educação pela Universidade Federal da Bahia (2013). Mestre em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia (2006). Especialista em História Social: Brasil pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (1998). Licenciada em História também pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (1989). Professora adjunta da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia e do Programa de Pós-Graduação em Educação (UESB). Experiência na área de História e Educação, com ênfase em História, História da Educação, Ensino-Aprendizagem Histórica e Currículo.

Referências

BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história
da cultura. 7. ed. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense,
1994. (Obras escolhidas, v. 1).
BORGES, J. L. In: Ensaio: o tempo. Disponível em: textos/o-presente-nao-existe-jorge-luis-borges>. Acesso em: 09 ago.2012.
CERRI, L. F. A função da história de orientação temporal e o ensino escolar da
história. 2o
Encontro de Diretrizes Curriculares Estaduais. Seed-PR. Faxinal do Céu.
Mesa Redonda: Valor Educativo do Ensino de História, 2004. Disponível em: www.geocities.ws/lfcronos/texfunchistoria.html>. Acesso em: 22 out. 2012.CERRI, L. F. Ensino de história e consciência histórica: implicações didáticas de
uma discussão contemporânea. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. (Coleção
FGV de Bolso. Série História).
HELLER, A. Uma teoria da história. Tradução de Dilson Bento de F. F. Lima.
Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1993.
LEE, P. Em direção a um conceito de literacia histórica. Educar em Revista,
Curitiba, n. especial, p. 131-150, 2006.
LEE, P. Putting principles into practice: understanding history. In: BRANSFORD,
J. D.; DONOVAN, M. S. (Eds.). How students learn: history in the classroom.
Washington (DC): National Academy Press, 2005, p. 29-78. Disponível em:
. Acesso
em: 30/05/2012.
NORA, P. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Tradução Yara
Aun Khoury. Projeto História, São Paulo, n. 10, p. 7-28, dez. 1993.
RIBEIRO, R. M. de O. Produção de narrativas em aulas de história. In: Anais
Eletrônicos do IX Encontro Nacional dos Pesquisadores do Ensino de História.
18, 19 e 20 de abril de 2011, p. 1-21. Disponível em: trabalhos/GT07/tcompletoregina.pdf>. Acesso em: 16 jul. 2012.
RÜSEN, J. Razão histórica: teoria da história: fundamentos da ciência histórica.
Trad. Estevão de Rezende Martins. Brasília: Editora da Universidade de Brasília,
2001.
RÜSEN, J. Aprendizagem histórica: fundamentos e paradigmas. Trad. Peter H.
Rautmann, Caio da C. Pereira, Daniel Martineschen, Sibele Paulino. Curitiba:
W. A. Editores, 2012.
SCHMIDT, M. A.; BARCA, I.; MARTINS, E. de R. (Orgs.). Jörn Rüsen e o ensino
de história. Curitiba: Editora da UFPR, 2010.
SCHMIDT, M. A. Literacia histórica: um desafio para a educação histórica no
século XXI. História e Ensino, Londrina, v. 15, p. 9-22, ago. 2009. Disponível
em: .
Acesso em: 17/07/ 2012.
Publicado
2016-11-10