Consciência Histórica de Jovens: Identidade, Mudança em História e Sentidos para Vida

  • Isabel Barca Universidade de Londres

Resumo

Pela compreensão histórica do passado o ser humano alcança uma visão do mundo muito mais abrangente e profunda do que a que se fundamenta apenas na sua experiência concreta. Na investigação em educação histórica, que se preocupa com a promoção do pensamento histórico dos alunos, ganhou recentemente importância a questão da formação da Consciência Histórica na abordagem ruseniana, no sentido de dar relevo à necessidade de fazer da História um saber estruturante para os jovens e usável para uma melhor orientação no tempo. Foi com essa preocupação que o Projeto Hicon, “Consciência Histórica - Teoria e Práticas” I e II (2003 a 2011), em Portugal, procurou encontrar respostas fundamentadas à questão “que consciência histórica revelam os jovens em situação de escolaridade?”, no âmbito de países lusófonos. Com essa finalidade, num dos estudos solicitou-se a jovens com idades entre 15 e 17 anos a produção de duas narrativas acerca da História contemporânea, uma sobre o seu país e outra sobre o Mundo. Neste artigo, discutem-se os dados fornecidos por alunos de escolas portuguesas e moçambicanas, numa análise indutiva orientada para a compreensão de sentidos de identidade, conceitos de mudança histórica e significância da História para a vida dos sujeitos, considerados como alguns dos elementos constitutivos da consciência histórica. Os resultados dessa análise de dados dos dois países foram comparados qualitativamente, refletindose sobre convergências e divergências de perspectivas indiciadas nas produções dos jovens.

Biografia do Autor

Isabel Barca, Universidade de Londres

possui doutorado em History in Education pela Institute of Education, Universidade de Londres (1996) . Tem experiência na área de Educação.

 

Referências

ANGVIK, M.; BORRIES, B. Youth and History: a comparative European survey
on historical and political attitudes among adolescentes, v. A and B. Hamburg:
Körber-Stiftung, 1997.
ASBHY, R.; FOSTER, S.; HOWSON, J.; LEE, P. British School History Students’
“Big Pictures” of the Past. Comunicação apresentada no Annual Meeting of
the American Educational Research Association, Nova Iorque, 2008. BARCA, I. Marcos de consciência histórica de jovens portugueses. Currículo
sem Fronteiras, v. 7, n.1, 2007, pp. 115-126. Disponível em: < curriculosemfronteiras.org/vol7iss1articles/barca.pdf>. Acesso em:
03/06/14.
______. Narrativas históricas de alunos em espaços lusófonos. In: BARCA, I.
(Org.). Educação histórica na era da globalização. Braga: CIEd, Universidade
do Minho, 2011.
BARTON, K. Ideias das crianças acerca da mudança através dos tempos:
resultados de investigação nos Estados Unidos e na Irlanda do Norte. In: I.
BARCA (Org.). Perspectivas em educação histórica. Braga: CIED, Universidade
do Minho, 2001, p. 55-68.
CASTRO, J.; SANCHES, G. Ideias de alunos cabo-verdianos e portugueses
sobre identidade e interculturalidade – estudos em significância histórica.
In: Actas do X Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Ciências Sociais. Braga:
Universidade do Minho, 2009, p. 765-776.
COMPAGNONI, A.; FERNANDES, L.; NETTE, A.; THEOBALD, H.; SCHMIDT,
M. A. Perspectivas da Consciência Histórica em Jovens Brasileiros. In: Anais do
VII Encontro Nacional de Pesquisadores em Ensino da História - ENPEH. Belo
Horizonte, MG: Universidade Federal de Minas Gerais, 2006, p.1-13.
DONOVAN, M. S.; BRANSFORD, J. (Eds.), How Students Learn. History,
Matematics, and Science in the Classroom. Washington, DC: The National
Academies Press, 2005.
LEE, P. Prefácio. In: BARCA, I. O Pensamento histórico dos jovens. Braga: CEEP,
Universidade do Minho, 2000, p. 11-13.
______. ‘Walking backwards into Tomorrow’: Historical Consciousness and
Understanding History. Comunicação apresentada no Annual Meeting of the
American Educational Research Association. SanDiego, 2002. cshc.ubc.ca>
______. Putting Principles into Practice: Understanding History. In: M. S.
DONOVAN; J. BRANSFORD (Eds.), How Students Learn. History, Matematics,
and Science in the Classroom. Washington, DC: The National Academies
Press, 2005, p. 31-78.
LLOYD, C. The structures of history. Oxford: Basil Blackwell, 1993.
MARTIN, R. The Past within us. Princeton: U. Princeton Press, 1989. Projecto
Consciência Histórica: Teoria e Práticas. webs.ie.uminho.pt/conscienciahistorica/
/index56-2.htmlRÜSEN, J. The development of narrative competence in historical learning:
an ontogenetic hypothesis concerning moral consciousness. In: P. DUVENAGE
(Ed.), Studies in metahistory. Pretoria: Human Sciences Research Council,
1993, p. 63-84.
______. Razão histórica: teoria da história: os fundamentos da ciência histórica.
Brasília: Editora UnB, 2001.
______. Memory, history and the quest for the future. In: 2007. CAJANI; ROSS,
2007. A. (Eds). History teaching, identities, citizenship. Londres: Trentham
Books, 2007. p. 13-34.
SCHMIDT, M. A. Perspectivas da consciência histórica e da aprendizagem em
narrativas de jovens brasileiros. Revista Tempos Históricos, Cascavel (PR), v.12,
n.1, ano X, p.81-96, 2008.
______. Seminário sobre Consciência Histórica. Comunicações orais, Curitiba:
LAPEDUH, Universidade Federal do Paraná, maio-abril 2014.
SEIXAS, P. (Ed.) Theorizing historical consciousness. Vancouver: University of
Toronto Press, 2004.
SHEMILT, D. The Caliph’s Coin: the currency of narrative frameworks. In:
STEARNS, P.; SEIXAS, P.; WINEBURG, S. (Eds.). Knowing, teaching and
learning history. New York: New York University Press, 2000, p. 83-101.
WALDRON, F.; PIKE, S. Children’s construction of national identity: what does
it mean to be irish?. Comunicação apresentada no Annual Meeting of the
American Educational Research Association, Montreal, 2005.
WERTSCH, J. Voices of Collective Remembering. Cambridge: CUP, 2002.
Publicado
2016-11-10