As bases teóricas da Educação do Campo e suas contribuições para a licenciatura em Educação do Campo

  • Natacha Eugênia Janata Professora da Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Educação do Campo.
  • Edson Marcos de Anhaia Professor da Universidade Federal de Santa Catarina, atuando no curso de Licenciatura em Educação do Campo.

Resumo

A Licenciatura em Educação do Campo surge como modalidade de ensino superior no Brasil em 2007, como fruto das conquistas dos movimentos sociais do campo, os quais vinham constituindo a Educação do Campo. O questionamento central para esse texto foi compreender quais as contribuições dos pressupostos da Educação do Campo, - a Pedagogia Socialista; a Educação Popular; a Pedagogia do Movimento Sem Terra e a Pedagogia da Alternância -, para os processos formativos da Licenciatura em Educação do Campo. O objetivo foi o de estabelecer articulações, indicando contribuições para a formação de professores das escolas do campo no sentido de um projeto societário comprometido com a emancipação humana. Como instrumento teórico-metodológico fizemos uso da pesquisa bibliográfica a fim de elaborar uma síntese reflexiva sobre a temática. Concluímos que a relação trabalho e educação, o trabalho com
a atualidade e a auto-organização dos estudantes são elementos centrais da Pedagogia Socialista a ser considerada pelos processos formativos na Licenciatura. No que diz respeito à Educação Popular um importante legado é a busca pela relação entre os conhecimentos da prática e os sistematizados cientificamente, pelo diálogo. Quando à Pedagogia do Movimento, a matriz formativa da luta social aparece com ênfase. Por fim, a Pedagogia da Alternância, elemento metodológico, tem a possibilidade de aproximar teoria e prática. Vislumbra-se a possibilidade de contribuição das Licenciaturas em Educação do Campo mediante a busca da efetivação da formação de
professores para as escolas do campo comprometidos teórica e praticamente com os pressupostos apresentados.

Publicado
2018-08-31