O Papel da Educação Ambiental e da Gestão de Risco de Desastres no Desenvolvimento de Cidades Sustentáveis e Resilientes

  • Irene Carniatto
  • Lígia Fiedler
  • Schennia Ottaviano

Resumo

A fim de nortear a humanidade na busca por soluções para problemas econômicos e sociais, em 2015, dezessete objetivos foram preconizados durante a Cúpula das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável. Dentre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, o de número 11 visa tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis. Haja vista a maioria da população viver em áreas urbanas, faz-se necessário que as cidades sejam pensadas de forma a minimizar as vulnerabilidades tanto ambientais como sociais dos habitantes. A Educação Ambiental também é considerada em sua pluralidade como uma grande
aliada para ajudar na resolução de problemas ocorridos nas localidades, seja por causa de fatores naturais, culturais, educacionais, econômicos. Ademais, pode ser estratégica nos grandes centros urbanos ou em áreas rurais, como também nas periferias de qualquer região do País. Nesse sentido, são apresentados os cases do Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres (CEPED/UNIOESTE – Universidade Estadual do Oeste do Paraná) e do programa de Formação de Educadores Ambientais, desenvolvidos pela Itaipu Binacional em parceria com a Unioeste e outras instituições. Alguns projetos de excelência e referência vêm sendo desenvolvidos no estado do
Paraná, com resultados positivos em que a educação ambiental e a gestão de risco se ou interagem. Na estruturação dos programas, tem-se como um dos pressupostos o fato de que a Educação Ambiental não pode ocorrer a partir de atividades pontuais, mas por processos educativos que almejam mudanças de paradigmas que exigem reflexão contínua do cidadão e da comunidade participante. 

Publicado
2018-07-12