Trajetórias do Ensino de História no Brasil e os Manuais Didáticos de História da América

Maria Auxiliadora Schmidt, Tânia Braga Garcia

Resumo


O objetivo deste artigo, é indicar a existência, no Brasil, de uma “tradição inventada” sobre o significado do ensino de história e os sentidos atribuídos à História da América. A partir destas reflexões, levantar algumas possibilidades de sua (re) invenção, tendo como referência a análise de manuais didáticos publicados em diferentes momentos históricos. A partir de estudos realizados por Raimundo Cuesta Fernandez (1997;1998) acerca da história das disciplinas escolares e de Schmidt (2012) acerca da periodização para a história do ensino de história no Brasil, foi sugerido um percurso histórico do ensino de história da América no Brasil, bem como os elementos que o constituem e o caracterizam, no e a partir da construção do código disciplinar da História na sociedade brasileira. Ademais, vale destacar, que o ensino de História da America pode e será analisado a partir dos diferentes momentos da construção deste “código disciplinar”, face ao desafio proposto por Antônio Viñao – Se, ao invés de continuar analisando as disciplinas escolares através dos livros de texto, não seria preferível analisar esses através da história das disciplinas? (VIÑAO, 2008).

Palavras-chave: Ensino de História da América. Manuais Didáticos. Ensino de História.


Texto completo:

PDF

Referências


AQUINO, Rubin Santos Leão/ JESUS, Nivaldo/ OSCAR, Guilherme Pahl. História das Sociedades Americanas. Rio de Janeiro: Ed. Eu e Você, 1981.

ARANGUREN, C.Rincón. Crisis Paradigmática en la Enseñanza de la Historia: Una Visión desde America Latina. In. Revista de Teoria y Didáctica de las Ciencias Sociales. Mérida-Venezuela, Enero-Diciembre, n.7, pp. 129-142, 2002.

BEIRED, J.L./GERAB, K./RESENDE, M.A.C. Os problemas do ensino de História da América. In. Perspectivas do Ensino de História. Anais. São Paulo: USP/FEUSP, 1988, pp.210-228

BITTENCOURT, Circe. O percurso acidentado do ensino de História da América. In.IOKOI, Z.M./BITTENCOURT, C.M. Educação na América Latina. São Paulo: Edusp, pp.203-218, 1996.

BRASIL-MEC,Ed. Expressão e Cultura. Habilitações Profissionais no ensino do 2o. Grau. Diretrizes, normas, legislação.,1972.

BRASIL. Secretaria de Educaçao Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Historia. 5a. a 8a. séries. Brasília: MEC/SEF, 1998

DIAS, Maria de Fátima Sabino.Nacionalismo e estereótipos: a imagem sobre a América nos livros didáticos de História no Brasil. In. DIAS, M.F.S. (org.) História da América. Ensino, poder e identidade. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2004.

FENAME – Fundação Nacional de Material Escolar. Ministério da Educação e Cultura. História da América. Rio de Janeiro, 1971.

FERNANDEZ CUESTA, Raimundo. Sociogénesis de una disciplina escolar: la Historia. Barcelona: Ediciones Pomares-Corredor, 1997.

FERNANDEZ CUESTA, Raimundo. Clio en las aulas. La enseñanza de la Historia en España entre reformas, ilusiones y rutinas. Madrid: Akal, 1998.

GARCIA, Verena Radkau. Aprendizaje Histórico. In.SILLER, J.P./GARCIA, V.R. Identidad en el imaginario nacional. Reescritura y enseñanza de la historia. Puebla: Instituto de Ciencias Sociales y Humanidades./ Braunscheweig: Instituto

Georg-Eckert, pp.279-294, 1998.

HOLLANDA, Guy de. Um quarto de século de programas e compêndios de História para o ensino secundário brasileiro. Rio de Janeiro: INEP-Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos, 1957.

HOBSBAWN, E. Introdução: A Invenção das Tradições. In. HOBSBAWN, E./RANGER, T. A invençao das tradiçoes. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.

INEP-Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos/MEC-Ministério de Educaçao e Cultura. Conferências Interamericanas de Educaçao. Recomendações.(1943-1963). Brasília:MEC/INEP, 1965.

LEITE, Miriam Moreira. O ensino da História.No primário e no ginásio. São Paulo: Cultrix, 1969.

NADAI, E. O Ensino de História na América Latina: Contrastes e confrontos. In.Perspectivas do Ensino de História. Anais.São Paulo: USP/FEUSP,1988, p.109

ROCKWELL, Elsie. Caminos y rumbos de la investigación etnográfica en América Latina. Sesión de clausura del IX Seminario Interamericano de Investigación Etnográfica en Educación. México D.F., Octubre, 2000.

RUCH, Gastão. História da América. Rio de Janeiro: Ed.F.Briguet, 1932.

SEF – SECRETARIA DE EDUCAÇÃO INFANTIL E FUNDAMENTAL – Projeto de avaliação de livros didáticos de 1ª. a 8ª. série. Ministério da Educação. Disponível em http://www.mec.gov.br/sef/fundamental/avalidid.shtm

SCHMIDT, Maria Auxiliadora Moreira dos Santos. História do ensino de história no Brasil: uma proposta de periodização. In. Revista História da Educação. V.16, n.37,maio/ago.2012, pp.73-92.

SILVA, Joaquim. História da América (para a 2ª. Série ginasial). Rio de Janeiro:Companhia Editora Nacional, 1952.

VIÑAO, Antonio. A história das disciplinas escolares. In. Revista Brasileira de História da Educação. Maringá: SBEH, n.18, set./dez.2008, pp.173-215. Disponível em rbe.sbhe.org.br. Acesso em 20 de maio de 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 CADERNOS DE PESQUISA: PENSAMENTO EDUCACIONAL