Possibilidades de Construção de uma Identidade Positiva para as Crianças Negras no Cotidiano Escolar

  • Maria Elena Viana Souza Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/ UNIRIO. Doutora em Educação.

Resumo

Este texto tem como objetivo principal trazer para o debate as relações que podem ser feitas entre o conceito de identidade e alguns elementos constitutivos da construção da identidade da população negra brasileira, no contexto escolar de educação básica. É o resultado de uma pesquisa coordenada por mim desde 2004, cujo trabalho de campo acontece em escolas de Ensino Fundamental e tem como fundamentação teórica o pensamento de alguns autores como Cuche (2002), Ferreira (2004), Gomes (2005), entre outros. Conclui-se que a construção da identidade dos alunos negros está relacionada a diferentes aspectos constituintes da cultura brasileira e que as escolas de Ensino Fundamental têm sua cota de responsabilidade, formando novas formas de pensar em nossa sociedade para que surjam outras possibilidades de construção de uma autoidentidade positiva dessa parcela da população.

Biografia do Autor

Maria Elena Viana Souza, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/ UNIRIO. Doutora em Educação.
Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/ UNIRIO.

Referências

BARBIER, R. A pesquisa –ação. Brasília: Líber Livro Editora, 2004. 159p.
BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações
Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Lei 10.639/2003. Brasília, DF, junho/2005. 35p.
CERTEAU, M. de; GIARD, L. Uma Ciência Prática do Singular. In.: CERTEAU, M. de; GIARD, L.; MAYOL, P. A Invenção do Cotidiano. 2. Morar, cozinhar. 3. ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 1996. 372 p.
COSTA, J. F. Prefácio. In: SOUZA, N. S. Tornar-se Negro. 2.ed. Rio de Janeiro: Editora Graal. Coleção Tendências. vol.4. 1983. p. 2-18
CUCHE, D. A noção de cultura nas Ciências Sociais. 2.ed. Bauru: EDUSC,
2002. 256p.
FERREIRA, R. F. Afrodescendente: Identidade em construção. 1ª reimp. São Paulo: EDUC; Rio de Janeiro: Pallas, 2004. 188p.
FREITAG, B. Escola, Estado e Sociedade. 6 ed. São Paulo. Ed. Moraes. 1986.
GOMES, N. L. Alguns termos e conceitos presentes no debate sobre relações raciais no Brasil: uma breve discussão.In: BRASIL. Educação anti-racista: caminhos abertos pela Lei Federal no 10.639/03. Brasília, Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005. p. 39-62
GRAMSCI. A. Concepção Dialética da História. Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, 1978. 341p.
HALL, S. Identidades Culturais na Pós - Modernidade. 11.ed. Tradução: Tomaz Tadeu da Silva e Guaracira Lopes Lauro. Rio de Janeiro, DP&A Editora, 2006. 102 p.
ITURRA, R. O Imaginário das Crianças: os silêncios da cultura oral. Lisboa, Portugal: Fim De Século, 1997. 203p.
LOPES, A. R. C. Pluralismo Cultural e Políticas de Currículo Nacional. Caxambu, 20a Reunião ANPEd, set./1997, mimeo. 15p.
SKIDMORE, T. E. Preto no Branco: raça e nacionalidade no pensamento brasileiro. Trad. de Raul de Sá Barbosa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976. 332p.