Dança Como Ferramenta Pedagógica Nas Aulas De Educação Física

  • Irene Behring Universidade Federal do Espírito Santo – UFES.
  • Robelius De Bortoli Universidade Federal de Sergipe – UFS

Resumo

As ações corporais humanas adquirem, ao longo do tempo, um cunho voluntário, a partir de elementos ou representações de sua cultura, sendo considerada uma manifestação de seus hábitos e costumes, dando expressividade lúdica e ritualística social, expressando significados e simbolizando a existência humana. Este ensaio busca descrever como a dança está presente na escola e especificamente na educação física, além de demonstrar sua potencialidade como ferramenta pedagógica. A dança seria trabalhada em prol da superação de uma cultura corporal voltada para os aspectos puramente técnicos. Apesar disso, a dança como manifestação própria, oriunda dos gostos e preferências dos alunos, encontra dificuldade de ser discutida pedagogicamente, materializando-se num discurso que a entende algumas vezes como perturbação da ordem, perigo e descontrole; como elemento de um universo simbólico diferente daquele da escola. Pensar a “dança do aluno” como possibilidade educativa traria, como perspectiva à Educação Física na escola, uma intenção com o trato das práticas configuradas/retiradas do universo de cultura corporal/movimento em constante redefinição de símbolos transmitidos e, por fim, sujeitos à nova interpretação, já que a cultura tem se apresentado como um fenômeno dentro de um mundo em movimento.

Biografia do Autor

Irene Behring, Universidade Federal do Espírito Santo – UFES.
Mestrado em Educação Física da Universidade Federal do Espírito Santo – UFES. Mestre em Educação Física pela UFES
Robelius De Bortoli, Universidade Federal de Sergipe – UFS
Laboratório de Pesquisa do Desenvolvimento Cognitivo Humano da Universidade Federal de Sergipe – UFS. Doutor em Ciências da Atividade Física pela UniLeon, Espanha.

Referências

ARANHA, M. L. de A.; MARTINS, M. H. P. Filosofando: introdução à filosofia. 2. ed. rev. atual. São Paulo: Moderna, 1993.
BRACHT, V. Educação Física e aprendizagem social. 3.ed. Porto Alegre:
Magister, 2005.
BRASILEIRO, L. T. O conhecimento no curriculum escolar: o conteúdo “dança”em aulas de educação física na perspectiva crítica. Revista Movimento, v. 8,n.3, p. 5-18, set./dez. 2002.
______. Dança e educação física: saberes necessários à prática pedagógica da dança na escola. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE ARTE E EDUCAÇÃO FÍSICA, 2., 2005, Natal: Arte e Educação Física: ação na escola. Rede Nacional de Formação Continuada de Professores de Educação Básica – SEB/MEC. Núcleo de Formação Continuada de Professores de Artes e Educação Física – Paidéia. p.306 - 312.
______; MARCASSA, L. P. Linguagens do corpo: dimensões expressivas e
possibilidades educativas da ginástica e da dança. Pro-Posições, v. 19, n. 3, p. 195-207, set./dez. 2008. Disponível em: . Acesso em: 3 jun. 2009.
BUENO, E. R. de A. Um olhar sobre a diferença: a arte como caminho de
sensibilidade e consciência social. In: ALMEIDA, D. B. de (Org.). Educação: diversidade e inclusão em debate. Goiânia: Deescubra, 2007. p. 117–126.
CACHORRO, G. Cultura escolar e educação física: uma abordagem
etnográfica. In: BRACHT, V.; CRISÓRIO, R. (Org.). A educação física no
Brasil e na Argentina: identidades, desafios e perspectivas. Campinas: Autores Associados; Rio de Janeiro: PROSUL, 2003. p. 223–247.
CUCHE, D. A noção de cultura nas ciências sociais. Bauru: EDUSC, 1999.
CASTRO, D. L. O aperfeiçoamento das técnicas de movimento em dança.
Revista Movimento, Porto Alegre, v. 13, n. 01, p. 121-130, jan./abr. 2007.
FERNANDES, I. de B. C.; TIBÚRCIO, L. K. de O. M. Dança co-educação
e educação física: explorando possibilidades em uma escola de Natal. In:
ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE ARTE E EDUCAÇÃO FÍSICA, 2.,
2005, Natal: Rede Nacional de Formação Continuada de Professores de
Educação Básica – SEB/MEC. Núcleo de Formação Continuada de Professores de Artes e Educação Física – Paidéia. p.182 – 189.
FREIRE, I. M. Dança-educação: o corpo e o movimento no espaço do conhecimento. Cadernos CEDES, Campinas, 21(53), abr. 2001. Disponível em: . Acesso em: 03 jun. 2009.
GARIBA, C. M. S.; FRANZONI, A. Dança escolar: uma possibilidade na
educação física. Revista Movimento, Porto Alegre, v. 13, n.02, p. 155-171, maio/ago. 2007.
GARIBA, C. M. S. Dança escolar: uma linguagem possível na educação física. Revista Digital, Buenos Aires, v. 10, n. 85, jun. 2005. Disponível em:. Acesso em: 03 jun. 2009.
MARQUES, I. A. Projeto dança-escola: dialogando com o corpo, a arte e a
educação. São Paulo: [s.n.], 1995.
MEDINA, J. et al. As representações de dança: uma análise sociológica. Revista Movimento, v. 14, n. 2, p. 99-113, 2008.
MACHADO, C. G. Multiculturalismo: Muito além da riqueza e da diferença.
Rio de Janeiro: DP&A, 2002.
PESSANHA, C. E.; DANIEL, M. E. B.; MENEGAZZO, M. A. Da história das
disciplinas escolares à história da cultura escolar: uma trajetória de pesquisa. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 27, p. 57-67, set./dez. 2004.
RISCHITELI, J. S. P. Movimentos que falam: dança-educação e inclusão escolar. In: ALMEIDA, D. B. (Org). Educação: diversidade e inclusão social em debate. Goiânia: Descubra, 2007. p. 129–140.
SOARES, C. L. et al. Metodologia do ensino de educação física. São Paulo:
Cortez, 1992.
SARAIVA, M. do C. “O sentido da dança: arte, símbolo, experiência vivida
e representação”. Revista Movimento, Porto Alegre, v. 11, n. 3, p. 219-242, set./dez. 2005.
VAGO, T. M.; CACHORRO, G. In: BRACHT, V.; CRISÓRIO, R. (Org.). A educação física no Brasil e na Argentina: identidade, desafios e perspectivas: Campinas: Autores Associados; Rio de Janeiro: PROSUL, 2003. p. 191- 196.