Dialogando com o conceito de atividade em Vygotski e Leontiev

  • Gislaine A. R. da Silva Rossetto Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)/RS.
  • Leila Adriana Baptaglin Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)/RS.
  • Adriana Claudia Martins Fighera Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)/RS.

Resumo

Ampliar os estudos teóricos aliados à compreensão da origem do conceito de atividade com base em Vygotski e Leontiev é o objetivo deste texto. Vygotski retoma o termo atividade sob a perspectiva sócio-histórica a fim de suprir a carência de meios e de contextos para se compreender o desenvolvimento da consciência no homem. Leontiev assume a tarefa de aprofundar os estudos sobre a atividade humana e apresenta, como resultado de suas pesquisas, uma estrutura para a mesma de forma a apresentar como é possível operacionalizá-la. Compreendemos, a partir desse estudo que a atividade permeia o desenvolvimento humano e as suas propriedades possuem uma estrutura flexível que podem se modificar ao longo das experiências, favorecendo o desenvolvimento dos sujeitos. Estas estruturas conduzem o sujeito a processos criativos capazes de promover a assimilação e [re]significação de experiências, as quais viabilizam a produção de novas atividades a partir das vivências sociais, culturais e históricas.

Biografia do Autor

Gislaine A. R. da Silva Rossetto, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)/RS.
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) do Centro de Educação (CE) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)/RS, Mestre em Educação pelo PPGE/ CE/UFSM e Pedagoga – Educação Infantil/UFSM.
Leila Adriana Baptaglin, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)/RS.
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) do Centro de Educação (CE) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)/RS, Mestre em Educação pelo PPGE/ CE/UFSM, Licenciatura e Bacharelado em Desenho e Plásticas pela UFSM, Professora da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai (URI).
Adriana Claudia Martins Fighera, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)/RS.
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) do Centro de Educação (CE) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)/RS, Mestre em Linguística Aplicada pela Universidade Católica de Pelotas (UCPE), Especialista em Português e Literatura pelo Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Licenciatura em Letras Português Inglês e Literaturas pela UNIFRA.

Referências

KOZULIN, A.. O Conceito de Atividade na Psicologia Soviética. In: DANIELS, Harry. Uma introdução à Vygotsky. Edições Loyola: São Paulo, 2002. p. 111-137.
LEONTIEV, A. N. Actividad, conciencia y personalidad. Editorial Cartago de
Mexico, S.A. Cerrada de San Antonio Nº 22, 1984.
VYGOTSKY, L. S. A Consciência como Problema da Psicologia do Comportamento. In: VYGOTSKY, L. S. Obras Escogidas I: incluye el significado histórico de la crisis de la Psicología. Madri-Espana.Visor, 1997. p.39-60.
______. A Formação Social da Mente. São Paulo: Martins Fontes, 2007.