Pesquisas com Crianças: o Contraste entre a Teoria Histórico-Cultural e a Perspectiva da Sociologia da Infância

  • Muriane Sirlene Silva de Assis Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).
  • Maria Aparecida Mello Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Resumo

Este artigo analisa os principais conceitos que fundamentam as pesquisas sobre crianças realizadas na Teoria Histórico-Cultural, discutindo suas implicações nas práticas pedagógicas em Educação Infantil, em contraposição com a Sociologia da Infância. Demonstra que a compreensão de criança como sujeito histórico-cultural se distingue da Sociologia da Infância, bem como sua interpretação sobre cultura é bastante subjetiva, pois entende que os significados da e sobre a realidade são produzidos individualmente pelas crianças, contrastando, radicalmente com a Teoria Histórico-Cultural, na qual a cultura é elemento social determinante para o desenvolvimento do ser humano. Pretende ir à raiz dessas questões teóricas, de forma a analisar, compreender e superar os desafios e limites da prática pedagógica em Educação Infantil e, da mesma forma, analisar essas teorias, demarcando seus limites, potencialidades e diferenças.

Biografia do Autor

Muriane Sirlene Silva de Assis, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Diretora de
Escola de Educação Infantil na Prefeitura Municipal de Araraquara-SP.

Maria Aparecida Mello, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Professora do Departamento de Teorias e Práticas Pedagógicas da Universidade Federal de São Carlos e do Programa de Pós-Graduação em Educação – PPGE/UFSCar. Coordena o Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre a Escola de Vigotsky – NEEVY- CNPq.

Referências

ARCE, A. O Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil e o
espontaneísmo: (re) colocando o ensino como eixo norteador do trabalho
pedagógico com crianças de 4 a 6 anos. In: ARCE, A; MARTINS, L. M. (Orgs.).Quem tem medo de ensinar na educação infantil: em defesa do ato de ensinar.Campinas: Alínea, 2007. p. 13-36.
ASSIS, M. S. S. de. Desenvolvimento Cultural da Criança na Educação Infantil:contribuições da teoria Histórico-Cultural. 2010. 274f. Tese (doutorado) –Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade Federal de São Carlos, São Carlos.
BORBA, A. M. As culturas da infância no contexto da educação infantil. In:
VASCONCELLOS, T. de (Org.). Reflexões sobre infância e cultura. Niterói:
EdUFF, 2008. p. 73-91.
CERISARA, A. B. Em busca do ponto de vista das crianças nas pesquisas
educacionais: primeiras aproximações. In: SARMENTO, M. J.; CERISARA, A. B. (Orgs.). Crianças e miúdos: perspectivas sociopedagógicas da infância e educação. Porto: Asa, 2004. p. 35-54.
ELKONIN, D. B. Psicologia do Jogo. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
FARIA, A. L. G. de; DEMARTINI, Z. de B. F.; PRADO, P. D. (Orgs.). Por uma Cultura da Infância: metodologias de pesquisa com crianças. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2005.
GONÇALVES, M. F. C.. “Se a professora me visse voando ia me pôr de castigo”:a representação da escola feita por alunos de pré-escola da periferia. In: OLIVEIRA, Z. de M R. de. (Org.). Educação Infantil: muitos olhares. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1996. p. 159-176.
KRAMER, S. Pesquisando infância e educação: um encontro com Walter
Benjamin. In: KRAMER, S.; LEITE, M. I.. (Orgs.). Infância: fios e desafios da pesquisa. 5. ed. Campinas: Papirus, 2001. p.13-38.
LEONTIEV, A. N. O Desenvolvimento do Psiquismo. Lisboa: Livros Horizontes, 1978.
LEONTIEV, A. N. Uma contribuição à teoria do desenvolvimento da psique
infantil In: VYGOYSKY, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV. A. N. Linguagem,
desenvolvimento e aprendizagem. 7. ed. São Paulo: EPU, 2001. p. 59-83.
LURIA, A. R. Atividade Consciente do Homem e suas Raízes Histórico-Sociais. Curso de Psicologia Geral, vol. 1, 1979. p. 71-84.
_____. A Construção da Mente. São Paulo: Ícone, 1992.
MELLO, M. A. et. al. O desenvolvimento da criança na perspecitova HistóricoCultural:a percepção e explicação dos professores sobre as crises em diferentes idades. In: SEMINÁRIO DE GRUPOS DE PESQUISA SOBRE CRIANÇAS E INFÂNCIAS: TENDÊNCIAS E DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS, 2008, Juiz de Fora. Anais do 1º Seminário de Grupos de Pesquisa sobre Crianças e Infâncias: tendências e desafios contemporâneos. Juiz de Fora, 2008.
MINAYO, M. C. de S.. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em
saúde. 7. ed. São Paulo-Rio de Janeiro: Hucitec-Abrasco, 2000.
MONTANDON, C. Sociologia da Infância: balanço dos trabalhos em língua
inglesa. Caderno de Pesquisa, São Paulo, Fundação Carlos Chagas, n.112,
p.33-60, 2001.
PINTO, M. A infância como construção social. In: PINTO, M.; SARMENTO,
M. J. (Orgs.). As crianças: contextos e identidades. Braga: Centro de Estudos da Criança da Universidade do Minho, 1997. p. 31-73.
QUINTEIRO, J. Infância e Educação no Brasil: Um campo de estudos em
construção. In: FARIA, A. L. G.; DEMARTINI, Z. de B. F.; PRADO, P. D. (Orgs.).
Por uma Cultura da Infância: metodologia de pesquisa com criança. Campinas: Autores Associados, 2005. p. 19-47.
SARMENTO, M. J.; MANUEL, P. As crianças e a infância: definindo conceitos, delimitando o campo. In: PINTO, M.; SARMENTO, M. J. (Orgs.). As crianças: contextos e identidades. Braga: Centro de Estudos da Criança da Universidade do Minho, 1997. p. 7-30.
SARMENTO, M. J. Gerações e alteridade: Interrogações a partir da Sociologia da Infância. Educação e Sociedade, vol. 26, nº 91, 2005, p. 361-378.
_____. Sociologia da Infância: correntes e confluências. In. SARMENTO,
M.; GOUVEA, M. C. S. de. (Orgs.) Estudos da Infância: Educação e Práticas Sociais. Petrópolis: Vozes, 2008. p. 17-39.
SIROTA, R. Emergência de uma Sociologia da Infância: evolução do objetivo e do olhar. Caderno de Pesquisa, São Paulo, n 112, p. 7-31, 2001.
VIGOTSKY, L. S. Formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes,
1994. ______. Obras Escogidas. Tomo III. Problemas del desarrollo de la psique. Madrid: Visor Distribuiciones, 1995.
______. Obras Escogidas. Tomo IV. Psicología Infantil. Madrid: Visor
Distribuiciones, 1996.
______. Manuscrito de 1929. In: Educação & Sociedade. Campinas: Cedes, n. 71, 2000, p. 21-44.
______. Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar. In: VIGOYSKY, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV. A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 7. ed. São Paulo: EPU, 2001, p. 103-117.