Influencia da Música e da Musicoterapia na Cognição e Qualidade de Vida da Pessoa Idosa: uma revisão sistemática

  • Mariana Lacerda Arruda Mestranda em Educação na Universidade Federal do Paraná. Docente da Universidade Estadual do Paraná
  • Fabio Ricardo Hilgenberg Gomes Doutorando em Educação na Universidade Federal do Paraná.
  • Valdomiro de Oliveira Docente da Universidade Federal do Paraná
  • Gislaine Cristina Vagetti Docente da Universidade Estadual do Paraná

Resumo

Objetivo: realizar uma revisão sistemática sobre a influencia da música e musicoterapia na cognição e qualidade de vida da pessoa idosa. Método: a busca foi realizada em oito bases de dados, sendo elas: PUBMED/Medline, PsycInfo, Eric, CAPES, Voices, 19a Century: Music, Scielo e Lilacs. Foram selecionados artigos de intervenção relacionados à música ou musicoterapia e que envolviam pessoas com 60 anos ou mais, publicados no período de janeiro de 2000 a dezembro de 2017. Para avaliação da qualidade dos artigos, foi utilizado o checklist de Downs & Black (1988). Resultados e discussão: foram encontrados 13.748 artigos e selecionados 32 deles para a revisão. Nos estudos realizados com intervenção musicoterapêutica encontrou-se resultados significativos relacionado à melhora da memória, da função cognitiva geral e da interação social de pessoas idosas. Nos estudos realizados com intervenção musical encontrou-se diferença significativa na função cognitiva em aspectos como atenção, concentração e memória. E nas duas áreas foram encontrados resultados significativos em relação a melhora da qualidade de vida geral. Conclusão: A música é um tipo de atividade muito inclusiva e familiar, o que permite uma fácil adaptação em diferentes perfis sociodemográficos. As pesquisam comprovam que a intervenção com música ou musicoterapia pode melhorar aspectos cognitivos e a qualidade de vida de pessoas idosas.

 

Descritores: Musicoterapia. Cognição. Qualidade de Vida. Pessoa Idosa. Educação

Publicado
2019-07-03