A Origem da Vida: um Olhar para os Artigos Publicados entre os Anos de 2010 a 2015

  • Fabiane Sanches Rede Pública Municipal de Cascavel-PR
  • Aline Alves da Silva Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Vilmar Malacarne Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

Resumo

O presente artigo discute a origem dos primeiros seres vivos na Terra. O foco da investigação incorre em uma pesquisa do tipo “estado do conhecimento” sobre as teorias que discutem a origem da vida. Os dados foram coletados através de uma busca no “Google Acadêmico”. Utilizamos inicialmente as palavras-chave: “geração espontânea e origem da vida”, seguida de filtros mais avançados que resultaram num total de quarenta e uma publicações sobre o tema, entre os anos de 2010 a 2015. Dentre estas, o enfoque recaiu sobre a análise qualitativa de dezoito artigos científicos, descartando-se teses, monografias, dissertações, dentre outros. A reflexão fundamenta-se na análise de conteúdo por meio de categorização, conforme Bardin (1977). As pesquisas indicam que a temática é mais abordada na formação inicial de professores nos cursos de Biologia. Discutem também concepções de alunos e professores sobre o tema origem da vida, no contexto educacional. O estudo revela que mesmo quando as explicações para a origem da vida são abordadas cientificamente, é importante considerar aspectos divergentes surgidos em sala de aula, visto que estas refletem sobre a diversidade cultural e social, intimamente ligada a compreensão do tema.


Palavras-chave: Origem da vida. geração espontânea. diversidade cultural.

Biografia do Autor

Fabiane Sanches, Rede Pública Municipal de Cascavel-PR
Mestra em Educação pela Universidade Estadual do Oeste - UNIOESTE (2017).  Compreendo a pesquisa como condição fundamental para o efetivo processo de ensino e aprendizagem e considero o pensamento de Freire (1981), como norteador dessa busca diária que resulta na constância do ato de estudar.
Aline Alves da Silva, Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Mestranda em Educação pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Vilmar Malacarne, Universidade Estadual do Oeste do Paraná.
Possui graduação em Filosofia Licenciatura Plena pela Universidade Federal de Santa Maria (1994), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (1997) e doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (2007).

Referências

ALMEIDA, A. V.; MAGALHÃES, F. O. Scientiae Zudia. São Paulo, v. 8, n. 3, p. 367-388, 2010.

AMABIS, J. M.; MARTHO, G. R. Biologia 1, 2, 3. 3ª Ed. São Paulo: Moderna, 2010.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições 70, LDA, 1977.

BERGMANN, M.; CARDOSO, J. F. Origem e Evolução da Vida: Estudos e Percepções na sala de aula. Vivências: Revista Eletrônica de Extensão da URI, Erechim, v. 7, n. 13, p. 163-171, 2011.

BIZZO, N.; CHASSOT, A. Ensino de ciências: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus Editorial, 2013.

COSTA, G.; SILVA, M. J. S.; TREVISAN, I.Ciência/Tecnologia/Sociedade nos conteúdos sobre a origem da vida em livros didáticos de Biologia do Ensino Médio. Atas do IX Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – IX ENPEC Águas de Lindóia, SP – 10 a 14 de novembro de 2013.

DAMINELI, A.; DAMINELI, D. S. C. Origens da vida. Revista Estudos Avançados. São Paulo, v. 21, n. 59, p. 263-284, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ea/v21n59/a21v2159.pdf Acesso em: 14.11.2015

DELCOURT, R.; MATHIAS, M. O. Investigando um possível confronto entre a Hipótese Criacionista e Teoria Evolucionista para a Origem da Vida. Revista Eletrônica de Biologia (REB). São Paulo, v. 4, n. 1, p. 01-13, 2011.

DOMINGUES, D. A arte no século XXI: a humanização das tecnologias. Bauru: Unesp, 1997.

EMMECHE, C.; EL-HANI, C. N. Definindo vida, explicando emergência. Série Ciência e Memória, CNPQ/Observatório Nacional, Coordenação de Informação e Documentação, n. 02/99, 1999.

FARIAS, L. A. Jardins Químicos, Stéphane Leduc e a Origem da Vida. Química Nova na Escola. São Paulo, vol. 35, n° 3, p. 152-157, agosto 2013.

FUTUYMA, D. J. Biologia Evolutiva. Ribeirão Preto: FUNPEC, 1992.

GRIMES, C.; SCHROEDER, E. A origem da vida, sob a ótica de licenciandos de um curso de Ciências Biológicas. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 12, n. 1, p. 126-143, 2013.

MANO, A. M.; SARAVALI, E. G. Origem da vida na Terra: um estudo à luz da teoria piagetiana. Linha Mestra, Campinas, p. 549-552, 2012.

MARTINS, L. A. P. A história da ciência e o ensino da biologia. Ciência & Ensino, v. 3, n. 2, p. 18-21, 1998. Disponível em: http://prc.ifsp.edu.br/ojs/index.php/cienciaeensino/article/viewFile/45/46 Acesso em: 14.11.2015

MARTINS, L. A. C. P. Pasteur e a geração espontânea: uma história equivocada. Filosofia e História da Biologia, São Paulo, vol. 4, p. 65-100, 2009.

MEYER, D.; EL-HANI, C. N. Evolução: o sentido da biologia. Unesp, 2005.
NICOLINI, L. B.; FALCÃO, E. B. M.; FARIA, F. S. Origem da vida: como licenciandos em ciências biológicas lidam com este tema? Ciência & Educação, Bauru, v. 16, n. 2, p. 355-367, 2010.

OLIVEIRA, M. C. A.; DA ROSA, V. L. Base Institucional da Pesquisa Acadêmica Brasileira sobre o ensino dos temas “Origem da Vida” e “Evolução Biológica”.Disponível em: http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/viiienpec/resumos/R0195-1.
pdf. Acesso em: 16/07/2015.

PAULA, R. C.; NEVES, G; CARGNIN-STIELER, M. Percepção dos alunos do curso pré-vestibular une-todos: sobre a teoria da origem da vida. Disponível em:
http://need.unemat.br/4_forum/artigos/reniel.pdf. Acesso em 16-07-2015.

PORTO, P. R. A.; MORAIS FALCÃO, E. B. Teorias da origem e evolução da vida: dilemas e desafios no ensino médio. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 12, n. 3, p. 13-30, 2011.

ROCHA, M. F.; JÓFILI, Z. M. S. “Origem da Vida”: uma discussão interdisciplinar.Disponível em:http://www.researchgate.net/publication/276279737. Acesso em: 16/07/2015.

RODRIGUES, J. A. R. Evolução Biomolecular Homoquiral. A Origem e a Amplificação da Quiralidade nas Moléculas da Vida. Quimica Nova, São Paulo, v. 33, n. 5, p. 1175-1185, 2010.

ROMANOWSKI, J. P.; ENS, R. T. As pesquisas denominadas do tipo “estado da arte” em educação. Diálogo Educacional, v. 6, n. 19, p. 37-50, 2006. Disponível
em:http://www.chcbeira.pt/download/As%20pesquisas%20denominadas%20do%20tipo%20estado%20da%20arte.pdf. Acesso em: 07/04/2016

ROSA, V., MUNIZ, E. C.N., CARNEIRO, A. P. C. e GOEDERT, L. O tema Evolução entre professores de Biologia não Licenciados – Dificuldades e Perspectivas. In: VIII Encontro Perspectivas do Ensino de Biologia. Anais. São Paulo: USP, 2002.

SANTOS, K. D. de S.; et al. Origem da vida para alunos do Ensino Médio de Itabaiana e Frei Paulo-SE. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 96-109, jul/dez 2011.

SAUCEDO, K. R. R. A formação do professor de Ensino Religioso dos anos iniciais: conversas sobre ântropos, thréskeia e epistême. 2015. 253f. Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Educação. Universidade Estadual do Oeste do Paraná, 2015.

SILVA, W. dos S. Como a evolução substituiu a criação para explicar a origem da vida. Revista Parousia. São Paulo, p. 47-55, 1º semestre de 2010.

SILVA, A. C. O magistério católico e a defesa da vida humana na sua origem, à luz do dado científico. Revista de Cultura Teológica. São Paulo, n. 76, p. 63-81, 2011.

SOUZA, J. A.; A origem da Vida: Uma descoberta surpreendente. Revista de Teologia (RevEleTeo). São Paulo, v. 7, n. 11, p. p. 108-118, 2013.

TAUCEDA, K. C.; et al. A teoria dos campos conceituais no estudo da Origem do Universo e da Vida com alunos do Ensino Médio. V Encontro Regional Sul de Ensino de Biologia (EREBIO-SUL) e IV Simpósio Latino Americano e
Caribenho de Educação em Ciências do International Council of Associations for Science Education (ICASE), 18 a 21 de setembro de 2011.

ZAIA, D. A. M. Da geração espontânea à química prebiótica. Quimica Nova, São Paulo, vol. 26, N. 2, p. 260-264, 2003. Disponível em: http://alunosonline.uol.com.br/biologia/teoria-de-oparin-e-haldane.html. Acesso em: 26/01/2016.
Publicado
2017-12-15