Ética, educação e desafios contemporâneos

  • Divino José da Silva Universidade Estadual Paulista (UNESP) de Presidente Prudente.

Resumo

Para que evitemos os idealismos, ao tratar dos vínculos entre ética e educação, acreditamos que seja necessário focalizar alguns aspectos presentes em nossa cultura, na atualidade, que parecem marcar de forma incisiva os nossos valores. São eles: cinismo, delinquência, narcisismo, competitividade e hedonismo. Abordaremos esses aspectos recorrendo,
sobretudo, às análises que Jurandir Freire Costa e Yves de La Taille fazem da cultura brasileira contemporânea. O nosso intuito será explicitar que pensar a relação entre educação e a formação ética requer mais do que boas intenções e discursos idealizados, mas passa fundamentalmente pela compreensão de aspectos da nossa cultura que têm força incisiva sobre as
práticas educativas. Reivindicamos, no final, que uma educação que tenha como preocupação a formação ética deve privilegiar o cuidado do outro mediado pelo “tato pedagógico” e pela “conversação”, os quais se expressam por meio da linguagem poética.
Palavras-chave: Formação ética. Ethos moral. Conversação. Tato pedagógico.

Biografia do Autor

Divino José da Silva, Universidade Estadual Paulista (UNESP) de Presidente Prudente.

Possui graduação em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1989), mestrado em Fundamentos da Educação pela Universidade Federal de São Carlos (1994) e doutorado em Educação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1999). Desde de 1998 é professor assistente doutor da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (FCT/UNESP/Presidente Prudente). É professor de Filosofia da Educação no Departamento de Educação e no Programa de Pós-Graduação- Mestrado e Doutorado desta mesma Faculdade. Foi Coordenador do Programa de pós-graduação da FCT/UNESP entre junho de 2010 a junho de 2013. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Filosofia da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, teoria crítica e educação, ética e educação, vida administrada e formas de controle sobre a vida, tecnociência e educação, cerebralização da educação e biopolítica. Tem abordado estas temáticas à luz dos seguintes autores: Theodor Adorno, Walter Benjamin, Hannah Arendt e Foucault.

 

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Infância e história. Destruição da experiência e origem da história. Tradução de Henrique Burigo. 1.ed. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2005.

ARENDT, Hannah. A crise na educação. In: ______. Entre o passado e o futuro. Tradução de Mauro W. Barbosa de Almeida. São Paulo: Perspectiva, 2001.

BÁRCENA, Fernando. La experiência reflexiva en educación. 1. ed. Barcelona: Paidós, 2005.

BIGNOTO, Newton. A contingência do novo. In: NOVAES, Adauto. A condição humana. As aventuras do homem em tempos de mutações. São Paulo: SESCSP; Agir, 2009.

BOTO, Carlota. Ética e educação clássica: virtude e felicidade no justo meio. Revista Educação e Sociedade, Campinas SP, n. 76, p. 121-146, 2001.

CHAUÍ, Marilena. O que é ser educador hoje? Da arte à ciência: a morte do educador. In: BRANDÃO, Carlos R. (Org.). O educador; vida e morte. Rio de Janeiro: Graal, 1986.

COSTA, Jurandir Freire. A ética e o espelho da cultura. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.

______. Sem fraude nem favor. Estudos sobre o amor romântico. Rio de Janeiro: Rocco, 1998a.

______. Não mais, não ainda: a palavra na democracia e na psicanálise. Revista USP, São Paulo, SP, n. 37, p. 108-119, 1998b.

______. O vestígio e a aura. Corpo e consumismo na moral do espetáculo. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito. São Paulo Martins Fontes, 2004.

GOERGEN, Pedro. Educação moral: adestramento ou reflexão comunicativa? Revista Educação e Sociedade, Campinas SP, n. 76, p. 147-174, 2001.

HERMANN, Nadja. Pluralidade e ética em educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

LA TAILLE, Yves de. Formação ética. Do tédio ao respeito de si. Porto Alegre: Artmed, 2009.

KHEL, Maria Rita. O espetáculo como meio de subjetivação. In: KHEL, M. R.;

BUCCI, E. Videologias. São Paulo: Boitempo, 2004.

______. O tempo e o cão. A atualidade das depressões. São Paulo: Boitempo, 2009.

SAFATLE, Vladimir. Cinismo e falência da crítica. São Paulo: Boitempo, 2008.

SAVATER, Fernando. Ética para meu filho. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

VALLE, Lílian. Ainda sobre a formação do cidadão. É possível ensinar a ética. Revista Educação e Sociedade, Campinas SP, n. 76, p.175-196, 2001.

VAZ, Lima. Escritos de filosofia II. Ética e cultura. São Paulo: Loyola, 1988.
Publicado
2018-03-05