Apresentação

  • Lúcia Schneider Hardt Atualmente é professora associada da Universidade Federal de Santa Catarina.
  • Neiva Afonso Oliveira Atualmente, é professora associada da Universidade Federal de Pelotas; é professora do Programa de Pós-Graduação, credenciada na linha de pesquisa Filosofia e História da Educação.
  • Rosana Silva de Moura Professora Adjunta (UFSC). Professora permanente do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina. Atua na Área de Filosofia da Educação em disciplinas de graduação do Departamento de Estudos Especializados em Educação.

Resumo

De uma maneira geral e ampliada, conquistar e consolidar mais espaços para a esfera filosófica em direção à reflexão crítica sobre a educação tem sido o mote daqueles que lidam com a Filosofia da Educação. Valorizar os percursos da Filosofia e da Educação, dilatar ou constringir os tempos históricos e filosóficos, nutrindo e realizando diálogos, abstrações e desacomodações são alvos mais peculiares
a que tem se dedicado o grupo de professores e pesquisadores da Filosofia da Educação. As tarefas a que temos nos dedicado têm sido as de discutir e orientar o debate em direção a uma educação do ser no mundo, educação que propicie formação humana existencial
multidimensional para um mundo limitado, finito e em mudança.

Biografia do Autor

Lúcia Schneider Hardt, Atualmente é professora associada da Universidade Federal de Santa Catarina.
Possui Graduação em História pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1982), Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1995) e Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2004). Atualmente é professora associada da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Formação de Professores, atuando principalmente na área de filosofia e teorias da educação. Desenvolve pesquisas especialmente a partir de Nietzsche. Neste contorno teórico a pesquisa tem priorizado: a) discutir o conceito de formação considerando a dimensão trágica da vida; b) operar com o conceito ?espírito livre? ; c) desenvolver estudos que promovam a interface entre Educação/Literatura e Filosofia. Participa do Grupo de pesquisa GRAFIA no qual coordena um sub: grupo: Bio-Grafia/Nietzsche. ?Nietzsche parece ser um caminho, um desvio talvez, que, por meio de um trabalho subterrâneo, escavou desde os gregos outras ideias de formação que não receberam toda a luz e ar, quase sucumbiram, mas ainda são capazes de anunciar novas auroras?. Integra ainda como colaboradora o Grupo de Pesquisa Nietzsche e a Teoria Política (GENTP).
Neiva Afonso Oliveira, Atualmente, é professora associada da Universidade Federal de Pelotas; é professora do Programa de Pós-Graduação, credenciada na linha de pesquisa Filosofia e História da Educação.
Neiva Afonso Oliveira é doutora em Filosofia pela PUC-RS, em 2004. Atualmente, é professora associada da Universidade Federal de Pelotas; é professora do Programa de Pós-Graduação, credenciada na linha de pesquisa Filosofia e História da Educação. Entre suas principais publicações estão os livros Rousseau e Rawls: contrato em duas vias (Edipucrs, 2000), Fides et Ratio: Festschrift em homenagem a Cláudio Neutzling (EDUCAT, 2003) e Propriedade e Democracia Liberal (Edipucrs, 2004). Publicou ainda diversos capítulos de livros e artigos em periódicos científicos. Suas áreas prioritárias de pesquisa são a Filosofia Política e a Filosofia da Educação
Rosana Silva de Moura, Professora Adjunta (UFSC). Professora permanente do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina. Atua na Área de Filosofia da Educação em disciplinas de graduação do Departamento de Estudos Especializados em Educação.
Doutora e Mestre em Educação (UFRGS), com estágio doutoral (SWE/CAPES) no Departamento de Humanidades/Filosofia, da UC3Madrid (2005-2006). Graduação em História pela UFRGS (Bacharelado e Licenciatura). Tem experiência em Ensino de História/Ensino Fundamental, em escolas públicas (RS). É autora dos livros Filosofia da educação: mediações possíveis entre tempo e reconhecimento social e Sutis violências e o espelho midiático: uma abordagem crítica da cultura contemporânea. Desenvolve estudos e pesquisas em formação humana a partir da relação da filosofia da educação com a hermenêutica filosófica, cujos interesses transitam entre temas como: finitude, 'habitar poético', alethéia, 'a questão da técnica', mundo, vivência, experiência. Coordena pesquisas em Hermenêuticas da cultura, mundo e educação/CED/UFSC (http://hermeneuticas.paginas.ufsc.br/)
Publicado
2018-03-05