Psicologia, Aprendizagem e os Fundamentos da educação

  • Maria Virgínia Machado Dazzani Universidade Federal da Bahia
  • Marilena Ristum Universidade Federal da Bahia
  • Delma Barros Filho Universidade Federal da Bahia

Resumo

Neste artigo, objetivou-se construir um panorama que oferecesse uma possibilidade de reflexão sobre a contribuição da psicologia, enquanto ciência, para a fundamentação da educação e das práticas pedagógicas. Essa questão se legitima quando constatamos que apesar de os paradigmas da Psicologia não terem sido criados para solucionar problemas pedagógicos, as ideias e teorias psicológicas têm alicerçado muitas práticas no campo educacional. Recorremos ao exame do conceito de aprendizagem em suas diferentes acepções e, nesse percurso, enfatizamos a pertinência da resposta oferecida pela teoria histórico-cultural. Dentre os principais motivos para tal ênfase, apontamos que essa teoria se propõe a compreender a constituição dos processos da linguagem no cumprimento da função de aculturação e humanização, decisiva para a compreensão dos processos educativos. Além disso, concebe o desenvolvimento integral do sujeito humano como um processo culturalmente organizado em que a aprendizagem da linguagem, em contextos de ensino, constitui um momento central.
Palavras-chave: Aprendizagem; Práticas educacionais; Desenvolvimento; Teoria histórico-cultural.

Biografia do Autor

Maria Virgínia Machado Dazzani, Universidade Federal da Bahia
Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal da Bahia (1994), mestrado em Educação pela Universidade Federal da Bahia (2000) e doutorado em Educação pela Universidade Federal da Bahia (2004), ambos com bolsa CAPES. Realizou no período de 2002-2003 estágio de pesquisa com bolsa sanduíche (CAPES) na Purdue University (Indiana, Estados Unidos). Realizou estágio pós-doutoral na Clark University, Estados Unidos (CAPES/2009-2010), sob a orientação do Prof. Dr. Jaan Valsiner. É pesquisadora dos Programas de Pós-Graduação em Psicologia e em Educação, ambos da Universidade Federal da Bahia. Compõe a coordenação da Câmara Básica de Assessoramento e Avaliação Científico-Tecnológica, na área de Ciências Humanas e Educação da FAPESB (março de 2013 a dezembro de 2014/ março de 2015 a dezembro de 2016). Participa do Núcleo de Estudos Sobre Desenvolvimento e Contextos Culturais/CNPq do qual é a líder e do Kitchen Seminar Network (grupo de pesquisadores de várias nacionalidades, coordenado por Jaan Valsiner, com sede na Aalborg University, Dinamarca). É membro do GT Psicologia Escolar e Educacional (ANPEPP). Atualmente é membro do Comitê Científico da Editora Springer (New York) na Book Series on Cultural Psychology of Education. Tem experiência na área de Psicologia Escolar e Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: relação família-escola-comunidade, família e desempenho acadêmico, queixa escolar, conhecimento e aprendizagem. Sua experiência de pesquisa situa-se na interface entre a Psicologia Cultural do Desenvolvimento de base semiótica e a Educação. Interessa-se pelo estudo do desenvolvimento em contextos culturais. Desenvolve pesquisas que envolvem: (a) a análise de narrativas e de transições desenvolvimentais, considerando a família e a escola enquanto contextos culturais de desenvolvimento (práticas ligadas à participação da família na vida escolar,à criação de filhos etc) e (b) a análise das demandas de queixa escolar e compreensão do fenômeno do fracasso escolar. .
Marilena Ristum, Universidade Federal da Bahia
Possui graduação em Psicologia pela Universidade de São Paulo (Ribeirão Preto), mestrado em Psicologia pela Universidade de São Paulo, doutorado em Educação pela Universidade Federal da Bahia e pós-doutorado na Clark University (US) e na Universidad de Cordoba (ES). Foi Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia - UFBA durante o período entre 2012 e 2015. Atualmente é Professor Titular da Universidade Federal da Bahia, nos cursos de graduação e pós-graduação em Psicologia. Orienta alunos de Mestrado e Doutorado.Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Cultura e Sociedade. Sob a perspectiva da Psicologia Histórico-Cultural e da Psicologia Cultural, atua principalmente nos seguintes temas: violência e escola, bullying escolar, violência e família, violências contra a criança e o adolescente, medidas socioeducativas, psicologia escolar e educacional, inclusão escolar, relação professor-aluno em escolas públicas e particulares.
Delma Barros Filho, Universidade Federal da Bahia
Graduação em Psicologia pela Universidade Federal da Bahia (2009), mestrado (2012) e doutorado (2017) em Psicologia pelo Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal da Bahia. Membro do Núcleo de estudos sobre desenvolvimento e contextos culturais, vinculado ao CNPq. Atualmente é bolsista no Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia pelo Programa Nacional de Pós-doutorado da CAPES (PNPD/CAPES). Tem experiência na área de Psicologia do Desenvolvimento Humano, atuando principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento conceitual, escolarização, desenvolvimento cognitivo, aquisição de conhecimentos e significados de infância.
Publicado
2017-10-26