Apresentação

  • Iêda Viana Universidade Tuiuti do Paraná
  • Rita de Cássia Gonçalves Pacheco dos Santos Universidade Tuiuti do Paraná

Resumo

O número 23 do volume 9 da Revista Cadernos de Pesquisa: Pensamento Educacional organiza-se em torno de pesquisas variadas no campo da educação, abrangendo temas desde a educação regular, a educação infantil e a educação inclusiva até questões teórico-metodológicas que interferem na produção
do conhecimento, na formação do docente e na prática escolar, assim como questões que têm chamado atenção no debate educacional contemporâneo como a tecnologia educacional.

No primeiro artigo, “A diferenciação curricular e pedagógica como um desafio epistemológico”, os pesquisadores portugueses Rui Trindade e Ariana Cosme afirmam a necessidade de se respeitar as singularidades cognitivas e culturais dos alunos como fator fundamental da gestão do processo de ensino aprendizagem. É sobre tal problemática e as implicações curriculares e didáticas da mesma que este texto se debruça.

Em Inclusão Escolar e Formação Docente no Curso de Educação Física: Uma Análise de Projeto Pedagógico e Ordenamentos Legais, de Gilmar de Carvalho Cruz e Khaled Omar Mohamad El Tassa, o conceito de inclusão escolar é discutido a partir de documentos oficiais da legislação educacional brasileira, bem como do projeto pedagógico do curso de Educação Física de uma universidade estadual do Paraná, Brasil. O artigo busca reconhecer o lugar ocupado pela educação inclusiva no curso de formação docente, através de pesquisas em documentos e projetos pedagógicos. O estudo permitiu a reflexão no que diz respeito à tensão entre exigências legais e demandas socioeducacionais que se manifestam em cursos de formação de professores em nível superior.

No interessante texto, Bases Epistemológicas e Implicações
para Práticas de Modelagem Matemática na Educação
Matemática em Sala Aula, de Tiago Emanuel Klüber e Dionísio
Burak, são apresentados elementos capazes de favorecer a
compreensão de algumas bases epistemológicas que implicam
olhares distintos sobre as práticas de Modelagem Matemática,
Cadernos de Pesquisa: Pensamento Educacional, Curitiba, v. 9, n. 23, p.13-17 set./dez. 2014.
Disponível em <http://www.utp.br/cadernos_de_pesquisa/> considerando a necessidade de estudos e discussões sobre como bases epistemológicas orientam a prática da Modelagem Matemática em sala de aula na e para a Educação Básica, apresentando algumas implicações do reconhecimento dos
aspectos inerentes às bases epistemológicas nas concepções e desenvolvimento de atividades de Modelagem na Educação Matemática.
Roque Strieder e Rosangela Mendes apresentam o artigo Dignidade da Criança: Um Desafio para a Educação Inclusiva, que parte do princípio de que a inclusão escolar exige olhar o ser humano criança de modo singular e pensá-la com dignidade humana o que significa acolher crianças em seu ser e o fazer, sem perder a admiração por cada uma delas.
Em Para Além da Celebração Elogiosa ou da Denúncia Odiosa: Um Ensaio sobre Implicações das Teorias Pós-Modernas na Educação, João Colares da Mota Neto, propõe uma reflexão sobre possíveis implicações das teorias pós-modernas para o campo da educação. Apresenta um ensaio teórico, baseado em pesquisa bibliográfica, com autores de referência da pósmodernidade
e aqueles que discutem suas relações com a educação. Aliciene Fusca Machado Cordeiro e Mariana Datria Schulze em Salas de Apoio Pedagógico e suas Implicações no Trabalho e Fazer Docente de Professoras da Sala Regular discutem as implicações do encaminhamento de estudantes para salas de
apoio pedagógico no trabalho docente dos professores de salas regulares. Apresenta pesquisa empírica com professoras de anos iniciais. A sala de apoio pedagógico (SAP) caracteriza-se para as docentes como um espaço de práticas de ensino diferenciadas das salas regulares de escolarização.
No texto de Josiane Peres Gonçalves e Josiani Alves Barbosa Ferreira, Linguagem Escrita na Educação Infantil: Quando se deve Iniciar esse Processo? as autoras questionam qual é o melhor momento para se começar a ensinar a linguagem escrita para a criança e investigam quando se deve iniciar o processo de ensino da linguagem escrita na escola, tendo como abordagem norteadora, a teoria de Vygostsky e do Referencial Curricular Cadernos de Pesquisa: Pensamento Educacional, Curitiba, v. 9, n. 23, p.13-17 set./dez. 2014.
Disponível em <http://www.utp.br/cadernos_de_pesquisa/> Nacional para a Educação Infantil (RCNEI), por meio de estudos bibliográficos.
No texto Um Estudo de Caso Analisando a Infraestrutura das Escolas de Ensino Fundamental, de Paulo Sérgio Garcia, o autor apresenta pesquisa que analisou a infraestrutura das escolas da cidade com maior IDHM do Brasil. Um estudo de
caso foi realizado, coletando informações de escolas de Ensino Fundamental a fim de revelar uma realidade que escapa aos estudos quantitativos. Apresenta resultados que podem favorecer a reflexão sobre possíveis alternativas para a organização ou reformas do sistema educacional ou das escolas.
Em Trabalho e Adoecimento Docente: Tensões e Conflitos, de Kamylla Pereira Borges, a autora procura discutir a relação entre o trabalho docente e a saúde dos professores, na atual conjuntura da precarização e alienação do trabalho. O artigo apresenta resultados de pesquisa empírica, realizada no interior de Goiás em escolas públicas, trazendo inferências sobre os mecanismos de precarização e intensificação do trabalho dos educadores, resultantes de um processo de alienação, que contribuem para as manifestações de problemas de saúde de
professores.
No artigo Interação Professor-Aluno no Ensino Fundamental:
Um Panorama de Estudos Nacionais, Ana Priscila Batista e Lidia
Natalia Dobrianskyj Weber apresentam um relevante estudo das relações estabelecidas entre professor e aluno. As autoras trazem um panorama da produção científica nacional em Programas de Pós-Graduação nos últimos anos sobre a interação professoraluno do Ensino Fundamental a partir da seleção de dissertações e teses que constam no banco de teses da CAPES, que foram
analisadas quanto à perspectiva teórica utilizada, objetivos, instrumentos utilizados para avaliar tal interação e resultados obtidos. A análise revela o que vem sendo estudado dentro de uma gama de aspectos presentes nas interações professor-aluno e aponta questões para a continuidade de investigações neste
âmbito.
Gustavo Cibim Kallajian e Orlando Fernandez Aquino, no texto Implicações da Tecnologia Digital no Trabalho Docente: Cadernos de Pesquisa: Pensamento Educacional, Curitiba, v. 9, n. 23, p.13-17 set./dez. 2014. Disponível em <http://www.utp.br/cadernos_de_pesquisa/> Sua Expressão na Literatura Científica Atual, discutem que a Tecnologia Digital tem impulsionado intensas transformações em todos os setores da sociedade, implicando mudanças em nossos hábitos, relações sociais e afetivas e criando novas formas de nos
comunicarmos, de ensinar e de aprender. Além disso os autores buscam compreender sob que formas a tecnologia digital está transformando o trabalho dos professores do ensino superior e as respostas para esta questão foram buscadas numa pesquisa bibliográfica e documental. Concluem que a tecnologia digital vem influenciando diretamente o trabalho dos professores, na mesma medida que reconfigura toda a sociedade, suas relações sociais, de consumo e de lazer.
Em Para Além do Olimpo: Por uma Divulgação e Popularização do Conhecimento Científico Produzido na Universidade Federal do Pará (UFPA), Lívia Sousa da Silva procurou investigar as políticas de socialização do conhecimento produzido na pósgraduação stricto sensu em Educação da Universidade Federal do Pará, de maneira que esta possa vir a contribuir para a
transformação do contexto educacional amazônico. Através de pesquisa bibliográfica e análise documental apresenta resultados que partem do princípio de que a democratização do acesso ao conhecimento acadêmico por meio de uma política de socialização converge para o cumprimento de um dever social.
Em Educação e Realidade: Pensamento de Lauro Esmanhoto, a professora doutora Naura Syria Carapeto Ferreira apresenta trabalho que decorre de pesquisa sobre a vida e obra do professor paranaense Lauro Esmanhoto. O artigo objetiva, a partir de fontes primárias e secundárias, trazer à luz a história de vida de um educador, professor, político e gestor que dedicou toda
a sua vida ao ensino, à educação e à luta política em prol da
educação de qualidade para todos.
Este número apresenta ainda a resenha elaborada por Adriana Duarte Leoni, do livro Relações Étnico-Raciais e Educação no Brasil, organizado por Marcus Vinícius Fonseca, Carolina Mostaro Neves da Silva e Alessandra Borges Fernandes, publicado pela Maza Edições, dentro da série Seminários, da
Coleção Pensar a Educação, Pensar o Brasil de 2011. Livro Cadernos de Pesquisa: Pensamento Educacional, Curitiba, v. 9, n. 23, p.13-17 set./dez. 2014. Disponível em <http://www.utp.br/cadernos_de_pesquisa/>
instigante para discutir um tema importante no debate atual
das políticas públicas.
É também apresentada neste número a entrevista realizada pela Mestre Valéria Marcondes Brasil e mestrando José Antônio Correia de Souza, sob o título Manaus e a Rede Municipal de Educação onde Humberto Michiles conversa com o professor doutor Fausto dos Santos Amaral Filho.
Nossa expectativa é de que a leitura deste número da
revista, pela atualidade de suas temáticas, possa fortalecer o
debate no campo da pesquisa e das ações educacionais.

Biografia do Autor

Iêda Viana, Universidade Tuiuti do Paraná
Possui doutorado em Educação pela Universidade Federal do Paraná (2006) e mestrado em História Social pela Universidade Federal do Paraná (1995). Atualmente atua como professor e pesquisador no Programa de Mestrado e Doutorado em Educação e nos cursos de graduação em História e Pedagogia da Universidade Tuiuti do Paraná. Tem experiência na área de Educação e História, com ênfase em História e historiografia da educação; Fundamentos de prática pedagógica; Memória e gestão documental; Instituições, intelectuais e cultura escolar; Ensino de História; Arquivos e fontes escolares.
Rita de Cássia Gonçalves Pacheco dos Santos, Universidade Tuiuti do Paraná
Professora Adjunta do Programa de Pós Graduação em Educação (PPGed) da Universidade Tuiuti do Paraná (UTP) na linha de Políticas Públicas e Gestão da Educação desde 2014, trabalhando as disciplinas &quot;Políticas Públicas em Educação&quot;, &quot;Políticas Educacionais para o Livro Didático&quot; e &quot;Prática de Pesquisa LP PPGED&quot; - Políticas. No curso de Pedagogia - UTP trabalha as disciplinas &quot;Currículo da Educação Básica&quot;, &quot;Metodologia da Pesquisa: Produção Científica&quot; e &quot;Políticas Públicas e Projeto Pedagógico&quot;. Editora dos Cadernos de Pesquisa: Pensamento Educacional, Revista do Programa de Pós Graduação - Mestrado e Doutorado em Educação - UTP (ISSN 2175-2613). Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE, da Universidade Federal do Paraná - UFPR (2013), área de concentração: Educação, Cultura e Tecnologia com a tese: &quot;A SIGNIFICÂNCIA DO PASSADO PARA PROFESSORES DE HISTÓRIA&quot;. Possui mestrado em Educação pela PPGE/UFPR (2001) sendo bolsista CAPES e graduação em História pela UFPR (1995) sendo bolsista PET/CAPES e Prolicen/UFPR. Pesquisadora ligada ao grupo de pesquisa &quot;Políticas Públicas e Gestão da Educação&quot; - UTP, ao Laboratório ded Pesquisa em Educação Histórica - LAPEDUH do PPGE/UFPR e ao Grupo de Estudos Prática Educativa e Movimentos Sociais do Campo NUPECAMP - UTP.
Publicado
2017-05-26