A Posição de Roque Spencer Maciel de Barros e Álvaro Borges Viera Pinto sobre a Reforma da Universidade Brasileira na Década de 1960

  • Michelle Fernandes Lima Unicentro - Irati
  • Regina Maria Michelotto Universidade Federal do Paraná

Resumo

A compreensão das políticas para a educação superior, perpassa a identificação dos diferentes grupos sociais e suas respectivas propostas para as possíveis alterações nos rumos das universidades brasileiras. Considerando esse aspecto, buscamos em duas pesquisas distintas ao longo da nossa formação acadêmica, conhecer e analisar a posição de dois importante pensadores sobre a reforma universitária de 1968. Roque Spencer Maciel de Barros (1927-1999), professor da Universidade de São Paulo, conhecido pensador no meio educacional brasileiro e Álvaro Borges Vieira Pinto (1909-1987), membro ativo do processo das discussões sobre a Reforma Universitária, defendendo, juntamente com a União Nacional dos Estudantes (UNE), a proposta de uma universidade inovadora que propusesse soluções na direção de uma sociedade socialista. Buscamos nesse artigo, apontar a posição dos pensadores mencionados sobre o debate sobre a reforma da universidade brasileira na década de 1960.

Biografia do Autor

Michelle Fernandes Lima, Unicentro - Irati
Professora da Universidade Estadual do Centro Oeste: Campus Irati ( PR), nas disciplinas de Metodologia da Pesquisa em Ciências da Educação e Politicas Educacionais. Professora do Programa de Pós Graduação em Educação. Mestre em fundamentos da educação pela Universidade Estadual de Maringá. Doutora em educação pelo Programa de Pós Graduação em Educação da UFPR. Professora do Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Estadual do Centro Oeste. Líder do grupo de pesquisa Estado, Politicas e Gestão da Educação (UNICENTRO/IRATI-PR), http://www2.unicentro.br/gepoge/quem-somos/. Pesquiso nas linhas: Formulação, implementação e avaliação das políticas educacionais (Ed. Básica e Superior); Pesquisa em Politicas Educacionais; Política educacional em Gramsci; História da política educacional (educação superior).
Regina Maria Michelotto, Universidade Federal do Paraná
Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Paraná (1982), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Paraná (1989), doutorado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (1999) e doutorado SANDUICHE na Università degli Studi di Padova (1997). Realizou pós doutorado em Cuba, sobre Políticas da Educação Superior, em 2007. Atualmente é professor associada II, aposentada e colaboradora da Universidade Federal do Paraná. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Política para a Educação Superior, atuando principalmente nos seguintes temas: políticas públicas, compromisso político, avaliação da universidade e Antônio Gramsci. Faz parte do Grupo de Trabalho 11 da ANPEd e da Rede UNIVERSITAS de pesquisas. Atua, também, como vice-coordenadora, de um projeto do Observatório da Educação, da CAPES.

Referências

BARROS, Roque Spencer Maciel de. Introdução à filosofia liberal. São Paulo:
Grijalbo-Edusp, 1971a.
______. Ensaios sobre educação. São Paulo: Editora da Universidade de São
Paulo; Grijalbo, 1971b, p. 271-305.
GRAMSCI, Antônio. Concepção dialética da história. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 1981.
LIMA, Michelle Fernandes. Atualidade do pensamento de Álvaro Borges
Vieira Pinto para o debate sobre a reforma da universidade brasileira. Tese
de Doutorado. Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade
Federal do Paraná. Curitiba, 2013.
LIMA, Michelle Fernandes. Roque Spencer Maciel de Barros: pensamento
e intervenção na reforma universitária de 1968. Dissertação de Mestrado.
Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Estadual de
Maringá, 2005.
PINTO, Álvaro Borges Vieira. A questão da Universidade. Editora Universitária, 1962.
VEIGA, Laura. Os projetos educativos como projetos de classe: Estado e
Universidade no Brasil (1954-1964). Revista Educação e Sociedade. Campinas,
n. 11, p. 25 -71, jan. 1982.
Publicado
2017-06-07