A Pedagogia Social como Processo de Ressocialização

  • Elisangela Rodrigues de Souza Pedagoga pela Universidade Estadual do Centro Oeste do Paraná - UNICENTRO. Grupo de pesquisas MovCampo, desde 2013 até o presente momento.
  • Gessica Hiara Curi da Cruz Pesquisa na área de Currículo e educação do campo, participa do Grupo de Estudo Movecampo na Universidade Estadual do Centro-Oeste.
  • Vanessa Elisabete Raue Rodrigues Doutoranda em Educação na Universidade Estadual de Ponta Grossa. É pesquisadora do Grupo GEPÊPrivação da Universidade de São Paulo e participa dos Grupos História, Sociedade e Educação no Brasil - HISTEDBR e Sociedade Internacional Hegel - Marx: Seção Brasil da Universidade do Centro Oeste. É Coordenadora Geral do Pólo Regional de Guarapuava do Estado do Paraná do Comitê de Educação em Direitos Humanos e Coordenadora Pedagógica do Centro de Educação Básica para Jovens e Adultos. Atua como Docente Colaboradora da Universidade Estadual do Centro Oeste - UNICENTRO no Departamento de Pedagogia e no curso de Especialização em Intervenção Sociocultural em Contextos Escolares e Não escolares e Libras em parceria com a Universidade Aberta do Brasil.

Resumo

A educação é direito constitucional no Brasil. Ao longo da história da educação, algumas implicações internacionais tiveram espaço na legislação brasileira, inclusive ao que se refere a educação dos sujeitos privados de liberdade. Durante a consolidação da democracia brasileira, o desenvolvimento do país se deu em premissas de cunho liberal, positivista e neoliberal, por formas até autoritária garantindo direitos para a burguesia nacional e excluindo as classes econômicas desfavorecidas. Foi neste contexto que nasceu a constituição e outras normativas brasileiras, inclusive em relação ao sistema educacional do país. Entendendo a marginalização como resultado deste processo, nos propusemos em analisar a legislação que envolve a educação no contexto prisional pautada na Pedagogia Social, para verificar as possibilidades e limites da realização da educação como processo de ressocialização. Realizamos estudos bibliográficos que embasam a Pedagogia Social, e análise histórica de documentos norteadores da legislação. O resultado da pesquisa demonstra que há possibilidades de reinserção social a partir da pedagogia social, amenizando os efeitos da marginalização constituída pelo sistema capitalista.

Biografia do Autor

Elisangela Rodrigues de Souza, Pedagoga pela Universidade Estadual do Centro Oeste do Paraná - UNICENTRO. Grupo de pesquisas MovCampo, desde 2013 até o presente momento.
Pedagoga pela Universidade Estadual do Centro Oeste do Paraná - UNICENTRO. Participei de Programa Institucional de Iniciação Científica nos anos de 2014 e 2015, modalidade voluntário; Programa de Iniciação a Docência PIBID- de outubro de 2013 a fevereiro de 2014, e novamente de março de 2014 a abril de 2015. Além destes participo do grupo de pesquisas MovCampo, desde 2013 até o presente momento. Interesso-me por pesquisas na área de gestão, políticas e psicologia. Os trabalhos apresentados até o momento foram na área de Educação do Campo, com análise do Projeto Político Pedagógico das Escolas Itinerantes; do Complexo de estudos, que é um documento norteador da prática pedagógica para as EI do Paraná; e a concepção de desenvolvimento e aprendizagem a partir de Vygotsky presente nestes documentos.(Texto informado pelo autor)
Gessica Hiara Curi da Cruz, Pesquisa na área de Currículo e educação do campo, participa do Grupo de Estudo Movecampo na Universidade Estadual do Centro-Oeste.
Graduada em Pedagogia: docência e gestão educacional, pela Universidade Estadual do Centro Oeste- UNICENTRO. Pesquisa na área de Currículo e educação do campo, participa do Grupo de Estudo Movecampo na Universidade Estadual do Centro-Oeste. Tem experiência na área da educação básica, foi bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência- PIBID (CNPq) no ano de 2014. Posteriormente, entre 2014 e 2015, participou como bolsista do Programa de Iniciação Científica (PIBIC/CNPq).
Vanessa Elisabete Raue Rodrigues, Doutoranda em Educação na Universidade Estadual de Ponta Grossa. É pesquisadora do Grupo GEPÊPrivação da Universidade de São Paulo e participa dos Grupos História, Sociedade e Educação no Brasil - HISTEDBR e Sociedade Internacional Hegel - Marx: Seção Brasil da Universidade do Centro Oeste. É Coordenadora Geral do Pólo Regional de Guarapuava do Estado do Paraná do Comitê de Educação em Direitos Humanos e Coordenadora Pedagógica do Centro de Educação Básica para Jovens e Adultos. Atua como Docente Colaboradora da Universidade Estadual do Centro Oeste - UNICENTRO no Departamento de Pedagogia e no curso de Especialização em Intervenção Sociocultural em Contextos Escolares e Não escolares e Libras em parceria com a Universidade Aberta do Brasil.

Graduada em Pedagogia com habilitação em Orientação Educacional (2001), Especialista em Psicopedagogia Institucional pela Universidade do Centro Oeste ? UNICENTRO (2003), Mestre em Educação (2015) e Doutoranda em Educação na Universidade Estadual de Ponta Grossa. É pesquisadora do Grupo GEPÊPrivação da Universidade de São Paulo e participa dos Grupos História, Sociedade e Educação no Brasil - HISTEDBR e Sociedade Internacional Hegel - Marx: Seção Brasil da Universidade do Centro Oeste. Foi Coordenadora Pedagógica da Penitenciária Industrial de Guarapuava e do Centro de Regime Semiaberto de Guarapuava, assumindo também as funções de Vice direção e Conselheira Disciplinar desta última instituição prisional. Foi colaboradora dos Cadernos do Departamento Penitenciário do Paraná, especificamente nas Práticas de Tratamento Penal nas Unidades Prisionais do Paraná. É Coordenadora Geral do Pólo Regional de Guarapuava do Estado do Paraná do Comitê de Educação em Direitos Humanos e Coordenadora Pedagógica do Centro de Educação Básica para Jovens e Adultos ? Nova Visão instalada no Complexo Penitenciário de Guarapuava Pr além de atuar como Docente Colaboradora da Universidade Estadual do Centro Oeste - UNICENTRO no Departamento de Pedagogia e no curso de Especialização em Intervenção Sociocultural em Contextos Escolares e Não escolares e Libras em parceria com a Universidade Aberta do Brasil.

 

Referências

BARBOZA, Sergio de Goes; KERNKAMP, Clarice da Luz; PAVÃO, Ana Celi. Relações humanas e sociais. In. BARBOZA, Sergio de Goes. Relação entre os indivíduos e a sociedade. Londrina: Editora e Distribuidora Educacional S. A., 2015. p. 192.

BOBBIO, Norberto. A Era dos Direitos. Tradução de Carlos Nelson Coutinho: Nova. ed. 7reimpressão. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

BRASIL. CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988. Brasília. 1988. Disponível em: Acessado em 17 maio 2016.

_____. Ministério da educação. Curso técnico de formação para os funcionários da educação. Legislação Escolar. Brasília, 2009.

______. Plano Nacional de Educação: LEI Nº 13.005, DE 25 DE JUNHO DE 2014. Brasília. 2014. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20112014/2014/lei/l13005.htm> Acessado em: 20 maio 2015

CARREIRA, Denise; CARNEIRO, Suelaine. Relatoria Nacional para o Direito Humano à Educação: Educação nas Prisões Brasileiras - São Paulo: Plataforma DhESCA Brasil, 2009. 114 p.Disponível em: < http://www.cmv-educare.com/wp-content/uploads/2013/07/FINALrelatorioeduca%C3%A7%C3%A3onaspriso esnov2009.pdf> Acessado em: 20 maio 2015

CARVALHO, Odair França de; GUIMARÃES, Selva. A educação escolar prisional no Brasil sob ótica multicultural: identidade, diretrizes legais e currículos. Revista Horizontes; v31, n2, 2013. P.49 - 57 Disponível em: Acessado em: 27 nov. 2014.

IRELAND, Timothy. Educação em prisões no Brasil: direito, contradições e desafios. Revista Em aberto; v 24, n.86. Brasília:2011. P.19-39. Disponívelem Acessado em: 16
maio de 2016.

JULIÃO, Elionaldo Fernandes. Uma visão socioeducativa da educação como programa de reinserção social na política de execução penal. Repositório UFSJ ,2010.p.01-18. Disponível em: Acessado em: 07 jun 2016.

LIMA, Michelle Fernandes. Os educadores liberais e a edificação da educaçãonacional no século XX. Revista HISTEDBR – On line, n.31p.18-30.Campinas,2008.Disponívelem Acessado em: 05 jun 2016.

______Roque Spencer Maciel De Barros: Pensamento E Intervenção Na Reforma Universitária De 1968. Defendido em 2005. Dissertação, p.160. Universidade Estadual de Maringá UEM, Maringá, 2005.

_____ Os Educadores Liberais e a Edificação da Educação Nacional No Século XX. Campinas; Revista HISTEDBR On line; 2008 n°31 p.18-30 Disponível em: Acessadoem: 16 maio 2016.

MAEYER, Marc de. A educação na prisão não é uma mera atividade. Revista Educação & Realidade, v.38, n.1. Porto Alegre 2013.p.33 – 49. Disponível em: Acessado em: 20 abr. 2015.

MAZZEO, Antonio Carlos. Burguesia e Capitalismo no Brasil. São Paulo: Ática; 1995.

PEREIRA, Antonio. A educação-pedagogia no cárcere, no contexto da Pedagogia Social: definições conceituais e epistemológicas. Revista de Educação Popular, v.10, p.38 -55. Uberlândia, 2011. Disponível em: Acessado em: 27 nov. 2014.

SANTOS, Robson dos. Afinal, o que são os Direitos Humanos. dhnet.org.br; [S.l]; 2007. Disponível em: htm > Acessado em: 16 maio 2016.

UNIDOS PELOS DIREITOS HUMANOS. Uma Breve História dos Direitos Humanos.2008. Disponível em: < http://www.humanrights.com/pt/what-are-human-rights/brief-history/the-united-nations.html > Acessado em: 20 maio 2016.
Publicado
2017-06-02