Licenciatura em Música: Dilemas da Formação Docente Frente às Demandas da Prática Escolar

  • Maria José Dozza Subtil Universidade Estadual de Ponta Grossa

Resumo

O trabalho discute os fundamentos históricos, políticos e teóricos da formação do professor de música na Educação Básica, em especial quanto a duas dimensões metodológicas da prática educativa a partir de determinantes legais: a polivalência com a Educação Artística (Lei n. 5.692/71) e a especificidade de cada área com o Ensino de Arte (LDB n. 9.304/96), considerando a gênese histórica e a universalidade instituída desses conceitos. O artigo evidencia a contradição entre a formação dos docentes – com prevalência do saber conservatorial musical, as orientações legais e as demandas da prática social e escolar. Nessa perspectiva, o texto apresenta análise dos fundamentos teórico-metodológicos das determinações das políticas tanto nacionais quanto do Estado do Paraná para a arte em geral e a música em particular. Discorre-se também sobre os desafios para a formação e o trabalho dos professores nesse contexto, tendo em vista, de um lado, as características teórico-práticas da arte/música, e de outro, a prevalência de concepções historicamente instituídas na sociedade e na escola sobre seu ensino.

Biografia do Autor

Maria José Dozza Subtil, Universidade Estadual de Ponta Grossa
Graduação de Licenciatura em Música pela Faculdade de Educação Musical do Paraná (1971); Mestrado em Educação - Universidade Estadual de Ponta Grossa (1997); Doutorado em Engenharia de Produção/Mídia e Conhecimento - Universidade Federal de Santa Catarina (2003). Participação na implantação das Licenciaturas em Música e Artes Visuais da Universidade Estadual de Ponta Grossa em 2003 e coordenação das Licenciaturas 2003-2007. Professora do Programa de Pós Graduação em Educação/UEPG ? mestrado/doutorado. Interesse de pesquisa e produção: Política educacional, Formação de professores, Marxismo e método dialético, Arte, Mídia, Tecnologias e EAD. Autora do livro Música midiática e o gosto musical das crianças (2006). Co-autora do Livro Marxismo(s) e Educação (2016) Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação, Arte e Comunicação (GEPEAC). Bolsista Pesquisador Sênior Fundação Araucária desde 2013.

Referências

BEYER, E. Educação Musical no Brasil: tradição ou inovação? In: ENCONTRO
ANUAL DA ABEM, 3., 1994, Salvador. Anais... Salvador, 1994. p. 97-115.
BRASIL. Lei nº 5.692/71, de 11 de agosto de 1971. Fixa diretrizes e bases
para o ensino de 1° e 2º graus, e dá outras providências. Diário Oficial da
União, Brasília, 12 ago. 1971.
______. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e
bases da educação nacional. Diário oficial da União, Brasília, 23 dez. 1996.
______. Lei n° 11.769, de 18 de agosto de 2008. Altera a Lei no 9.394, de
20 de dezembro de 1996, Lei de Diretrizes e Bases da Educação, para dispor
sobre a obrigatoriedade do ensino da música na educação básica. Diário oficial
da União, Brasília, 19 ago. 2008.
FISCHER, E. A necessidade da arte. 9. ed. Rio de Janeiro: Editora Guanabara,
1987.
FORQUIN, J. C. Saberes escolares, imperativos didáticos e dinâmicas sociais.
Teoria e Educação, Porto Alegre, n. 5, p. 28-49, 1992.
LEMOS JUNIOR, W.; BLANCK MIGUEL, M. E. O Conservatório Nacional
de canto orfeônico como instituição modelo e a experiência no Paraná. In:
CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 7., 2013, Cuiabá.
Anais... Cuiabá, 2013. p. 1-16.
MARTINS, R. Educação Musical no Brasil: uma síntese histórica como
preâmbulo para uma ideia de Educação Musical no Brasil do século XX.
Revista da ABEM, Salvador, ano 1, n. 1, p. 6-11, maio 1992.
MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Martins Fontes,
2001.
MATEIRO, T. Uma análise de projetos pedadógicos de licenciatura em música.
Revista ABEM, Porto Alegre, v. 22, p. 57-66, set. 2009.
PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Currículo Básico para a Escola
pública do Paraná. Curitiba: SEED, 1990.______. Secretaria de Estado da Educação. Diretrizes Curriculares da Educação
Básica – Arte. Curitiba: SEED, 2009. Disponível em: pr.gov.br>. Acesso em: 5 jul. 2014.
PARO, V. H. Políticas educacionais: considerações sobre o discurso genérico
e a abstração da realidade. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 22., 1999,
Caxambu. Anais... Caxambu, 1999.
PEREIRA, M. P. S. Currículo e práxis na formação de professores: uma análise
do curso de Licenciatura em Música da Universidade Estadual de Ponta Grossa.
2013. 155 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual
de Ponta Grossa, Ponta Grossa, 2013.
PEREIRA, M. V. M. Habitus Conservatorial: do conceito a uma agenda de
pesquisa. In: CONGRESSO DA ANPPOM, 23., 2013, Natal. Anais... Natal,
2013. p. 1-8.
PROSSER, E. S. O ensino da arte nas escolas em Curitiba (1940-1960) e a
criação da Escola de Música e Belas Artes do Paraná. In: FÓRUM DE PESQUISA
CIENTÍFICA EM ARTE, 3., 2004, Curitiba. Anais... Curitiba: Editora ArtEMBAP,
2005. p. 234 -245.
SILVA JR, J. dos R. O Pronera e a democratização da Educação Superior pública
no campo: um diálogo teórico crítico. In: GRACINDO, R. V. et al. (Orgs.).
Educação como exercício de diversidade: estudos em campos de desigualdades
sócio-educacionais. Brasília: Liber Livro, 2007. v. 2. p. 221-239.
SAVIANI, D. Sobre a natureza e a especificidade da educação. Em Aberto,
Brasília, ano 3, n. 22, p. 1-6, 1984.
SCHURMANN, E. F. A música como linguagem: uma abordagem histórica.
2. ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1990.
SEBBEN, E. E. Concepções e práticas de música na escola na visão de alunos
de 8ª série do ensino fundamental: as contradições entre o legal e o real.
2009. 167 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual
de Ponta Grossa, Ponta Grossa, 2009.
STORI, R. As Diretrizes Curriculares de Arte do Estado do Paraná: uma análise
dos fundamentos e da gestão do ensino de música em Ponta Grossa/PR (2003-
2010). 2011. 190 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade
Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, 2011.
SUBTIL, M. J. D. A apropriação e fruição da música midiática por crianças
de quarta série do ensino fundamental. 2003. 227 f. Tese (Doutorado
em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina,
Florianópolis, 2003.______. Mídia, música e escola: reflexões sobre as práticas musicais no contexto
escolar. In: XII ENDIPE. Conhecimento local e conhecimento universal: a
aula, aulas nas ciências naturais e exatas, aulas nas letras e artes. Curitiba:
Champagnat, 2004. v. 3. p. 273-285.
______. Educação e Arte: dilemas da prática que a História pode explicar. Práxis
Educativa, Ponta Grossa, v. 4, n. 2, p. 185-194, jul./dez. 2009a.
______. Uma contribuição ao estudo da educação musical nas políticas
públicas brasileiras: educação artística, expressão e polivalência na Lei
5.692/71. In: CONGRESSO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE
EDUCAÇÃO MUSICAL, 18., 2009, Londrina. Anais... Londrina: Universidade
Estadual de Londrina, 2009b. p. 1231-1237.
______. Reflexões sobre Ensino de Arte: recortes históricos sobre políticas e
concepções. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. 41. p. 241-254, mar.
2011. Disponível em: http://www.histedbr.fae.unicamp.br/revista/edicoes/41/
art18_41.pdf>. Acesso em: 5 jul. 2014.
______. A lei n. 5.692/71 e a obrigatoriedade da educação artística nas
escolas: passados quarenta anos, prestando contas ao presente. Revista
Brasileira de História da Educação, Campinas, v. 12, n. 3 (30), p. 125-151,
set./dez. 2012.
______. Políticas, currículos e práticas na Formação de professores de artes no
Estado do Paraná: reflexões a partir de estudos da realidade das Licenciaturas.
2013. (Dados de pesquisa em andamento).
Publicado
2017-06-07