A Degradação do Trabalho na Sociedade Capitalista e a Contribuição de Marx e Gramsci para a Explicitação da Realidade

  • Cristhyane Ramos Haddad Universidade Positivo

Resumo

O objetivo desse artigo é levantar alguns aspectos do trabalho na sociedade capitalista e especificamente o trabalho do professor no contexto da reformas educacionais da década de 1990 no Brasil. Tais reformas ressignificaram o trabalho em geral, que foi marcado por processos de flexibilização e desqualificação da força de trabalho, com desdobramentos no magistério. É preciso analisar tais questões e para isso vamos buscar os conceitos de hegemonia, relações de poder, intelectuais orgânicos, revolução passiva e de escola emancipatória desenvolvidos por Gramsci. Em Marx nos apropriamos dos conceitos de alienação, humanização e trabalho como atividade criadora. A pesquisa realizada é de caráter bibliográfico e pretende contribuir para a construção de uma educação emancipatória sobre as bases de uma sociedade pautada nos princípios da solidariedade e justiça, a ser construída com a superação do capitalismo.

Biografia do Autor

Cristhyane Ramos Haddad, Universidade Positivo

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Paraná (1992), mestrado em Educação pela Universidade Tuiuti do Paraná (2011) e doutorado em Educação pela Universidade Tuiuti do Paraná (2016). Atualmente é pedagoga da Prefeitura Municipal de Curitiba, professora pedagoga do Governo do Estado do Paraná. Professora da Universidade Positivo no curso de Graduação em Pedagogia. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Currículo, Alfabetização, Organização do Trabalho Pedagógico, Ensino-Aprendizagem, Planejamento Escolar, Avaliação Educacional, Formação Continuada.

 

Referências

ANTUNES, Ricardo. Os exercícios da subjetividade: as reificações inocentes
e as reificações estranhadas. Caderno CRH, Salvador, v. 24, n. spe 01, p.
121-131, 2011.
DIAS, Edmundo Fernandes. Gramsci em Turim: a construção do conceito de
hegemonia. 1º Ed. São Paulo: Xamã, 2000.
DIAS, Edmundo Fernandes. Revolução passiva e modo de vida: ensaios sobre
as classes subalternas, o capitalismo e a hegemonia. São Paulo: Editora José
Luis e Rosa Sundermann, 2012.
GRAMSCI, Antonio. Maquiavel, a Política e o Estado Moderno. Rio de Janeiro:
Editora Civilização Brasileira, 1976.
______. Os Intelectuais e a Organização da Cultura. Rio de Janeiro: Editora
Civilização Brasileira, 1979.
LOMBARDI, José Claudinei; MAGALHÃES, Lívia D. Rocha; SANTOS, Wilson
da Silva. Gramsci no Limiar do Século XXI. Campinas, São Paulo: Librum
Editora, 2013MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política. São Paulo: Nova Cultural,
1985.
______. Manuscritos Econômicos- Filosóficos. Tradução Jesus Ranieri. Boitempo
Editorial, 2004.
OLIVEIRA, Dalila Andrade. A reestruturação do trabalho docente:precarização
e flexibilização. Educ. Soc., Campinas, vol. 25, n. 89, p. 1127-1144, Set./Dez.
2004 Disponível em
SCHLESENER, Anita Helena. Hegemonia e cultura: Gramsci. 3º Ed. Curitiba:
Ed. UFPR, 2007.
______. A Escola de Leonardo: Política e Educação nos escritos de Gramsci.
Brasília: Liber Livro, 2009.
SHIROMA, Eneida Oto; MORAES, Maria Célia M. de; EVANGELISTA, Olinda.
Política Educacional. Rio de Janeiro: DP&A, 2002, 2ª edição.
Publicado
2017-06-07