O Mundo do Trabalho: Modificações, Consequências e Novas Exigências para o Trabalho

  • Debora Daracelli Braga de Almeida Mendonça Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Resumo

O objetivo deste artigo é discutir as mudanças ocorridas no mundo do trabalho e as exigências da indústria para o perfil do trabalhador de novo tipo. Procurou-se enfocar a crise do sistema capitalista e suas especificidades, bem como apresentar o processo de globalização, a reestruturação produtiva e as novas formas de organização do trabalho e as conseqüências dessas mudanças para o conteúdo do trabalho e para o trabalhador. Além disso, aborda-se a implantação do toyotismo e seus efeitos no mundo do trabalho e o surgimento da periferia da força de trabalho. E, por fim, buscou-se apresentar as exigências da indústria para o perfil do trabalhador, desde as concepções da qualificação e das competências decorrentes das mudanças do mundo do trabalho.

Biografia do Autor

Debora Daracelli Braga de Almeida Mendonça, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Mestrado em Educação Social pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - Campus do Pantanal (UFMS/CPAN - 2012/2014). Graduada em pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul campus de Três Lagoas-MS. Participa do Grupo de Estudos Nucleados do Trabalho e Educação - GENTE, coordenado pelo Prof. Dr. Hajime Takeuchi Nozaki, no qual participou do Projeto de Pesquisa intitulado Análise das estratégias de qualificação dos trabalhadores para a chegada do novo complexo de fábricas em Três Lagoas/MS entre os anos de 2007 e 2009, na condição de bolsista de Iniciação Científica entre os anos de 2007/2008, com o plano de trabalho intitulado A chegada da fábrica e as ações das instituições de qualificação dos trabalhadores. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Trabalho e Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: fábrica, trabalho, trabalho e educação.

Referências

ALMENDRA, Carlos Cesar. Globalização e imperialismo. Revista Estudos:
Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas/USP, São Paulo: Humanitas/
FFLCH/USP, n 44, p. 133-165, 1998.
ALVES, Giovanni. O novo (e precário) mundo do trabalho: reestruturação
produtiva e crise do sindicalismo. São Paulo: Boitempo, 2000.
ANDERSON, Perry. Balanço do neoliberalismo. In. SADER, Emir. GENTILI,
Pablo (orgs). Pós-neoliberalismo: As políticas sociais e o Estado democrático.
5 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000. p. 9-23.
ANTUNES, Ricardo L. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a
negação do trabalho. São Paulo: Boitempo Editorial, 1999.
______. Adeus ao trabalho? : Ensaios sobre as metamorfoses e a centralidade do
mundo do trabalho. 12 ed. São Paulo: Cortez; Campinas: UNICAMP, 2007.
______. ALVES, Giovanni. As mutações no mundo do trabalho na era da
mundialização do capital. Educação & Sociedade: revista quadrimestral da
Ciência da Educação/Centro de Estudos Educação e Sociedade (Cedes),
Campinas, v. 25, n. 87, p. 335-351, Mai/Ago. 2004.
ARAÚJO, Rita de Cássia Barbosa de. Crises econômicas e desenvolvimento
do capitalismo. Revista Estudos: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências
Humanas/USP, São Paulo: Humanitas/FFLCH/USP, n 44, p. 51-66, 1998.
BANDEIRA, Vinicius. Globalização ou crise mundial do capitalismo? Revista
Estudos: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas/USP, São Paulo:
Humanitas/FFLCH/USP, n 44, p. 183-203, 1998. BATISTA, Eraldo Leme. Terceirização no Brasil e suas implicações para os
trabalhadores. Campinas, [s.n.], 2006. Dissertação (mestrado) – Universidade
Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, 2006.
BAZILIO, Luiz Cavalieri. Processo e relações de trabalho no banco verde. 1993.
150 f. Tese (doutorado ciências sociais) - Universidade Estadual de Campinas
– UNICAMP, Campinas, 1993.
BRAVERMAN, Harry. Trabalho e capital monopolista: a degradação do trabalho
no século XX. 3 ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.
COGGIOLA, Osvaldo. Introdução à teoria econômica marxista. São Paulo:
Viramundo, 1998.
FERRETTI, Celso João; SILVA JUNIOR, João dos Reis. Educação profissional numa
sociedade sem empregos. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 109, mar. 2000.
Disponível em 15742000000100003&lng=pt&nrm =iso>. Acesso em: 31 mai. 2009.
______. et. al. Escola e fábrica: vozes de trabalhadores em uma indústria
de ponta. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 118, mar. 2003. Disponível
em 15742003000100007 &lng=pt&nrm= iso>. Acesso em: 23 mai. 2009.
FRANCA, Gilberto Cunha, O trabalho no espaço da fábrica: um estudo da
General Motors em São José dos Campos (SP). São Paulo: Expressão Popular,
2007.
FRIGOTTO. Gaudêncio. Educação e a crise do capitalismo real. 5 ed. São
Paulo: Cortez. 2003.
GOUNET, Thomas. Fordismo e toyotismo na civilização do automóvel. São
Paulo: Boitempo Editorial, 1999.
HARVEY, David. Condição pós-moderna: Uma pesquisa sobre as origens da
mudança cultural. 9 ed. São Paulo: Edições Loyola, 2000.
KUENZER, Acácia Zeneida. Pedagogia da fábrica: as relações de produção
e a educação do trabalhador. São Paulo: Cortez, 1986.
MANFREDI, Silvia Maria. Trabalho, qualificação e competência profissional
– das dimensões conceituais e políticas. Educação & Sociedade: revista
quadrimestral da Ciência da Educação/Centro de Estudos Educação e
Sociedade (Cedes), Campinas, ano XIX, n. 64, p.13-45, Set. 1998.
MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. Livro 1, v.1, 2 ed. São
Paulo: Nova Cultural, 1985.
______. O capital: crítica da economia política. Livro 3, v. IV, 2 ed. São Paulo:
Nova Cultural, 1986.
______. ENGELS, Friedrich. Manifesto do partido comunista. São Paulo:
Expressão Popular, 2008.
MOURÃO, Arminda Rachel Botelho. A competência e a qualificação: conceitos
historicamente construídos para atender interesses de classe. In: REUNIÃO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA
EM EDUCAÇÃO. 26, 2003, Poços de Caldas. Anais... Rio de Janeiro: Anped.
2003. p.1-19. Disponível em: trabalhos/a rmindarachelbotelhomourao.rtf>. Acesso em: 1 ago. 2008.
POCHMANN, Marcio. O trabalho sob fogo cruzado: exclusão, desemprego e
precarização no final do século. São Paulo: Contexto, 1999.
______. O emprego na globalização: a nova divisão internacional do trabalho
e os caminhos que o Brasil escolheu. São Paulo: Boitempo, 2001.
RAGO, Luzia Margareth. MOREIRA, Eduardo. O que é taylorismo. São Paulo:
Editora Brasiliense, 1984.
RODRIGUES, Alberto Tosi. Sociologia da educação. 6 ed. S. L. Lamparina, 2007.
RAMOS, Marise Nogueira. A pedagogia das competências: autonomia ou
adaptação? 2 ed. São Paulo: Cortez, 2002.
SANTIAGO, Pérsio. Alguns aspectos das teorias sobre as crises econômicas:
o século XIX. Revista Estudos: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências
Humanas/USP, São Paulo: Humanitas/FFLCH/USP, n. 44, p. 15-66, 1998.
SEGNINI, Liliana Rolfsen Petrilli. Reestruturação nos Bancos no Brasil: desemprego,
subcontratação e intensificação do trabalho. Educação & Sociedade: revista
quadrimestral da Ciência da Educação/Centro de Estudos Educação e Sociedade
(Cedes), Campinas, ano XX, n. 67, p.183-209, Ago. 1999.
TREIN, Eunice Schilling. A contribuição do pensamento marxista à educação
ambiental. In: LOUREIRO, C. F. B (Org.). A questão ambiental no pensamento
crítico: natureza, trabalho e educação. Rio de Janeiro: Quartet, 2007. p.
113-134.
TRÓPIA, Patrícia Vieira. Política de qualificação profissional e difusão do
neoliberalismo no meio operário. In: REUNIÃO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO
NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM EDUCAÇÃO. 29, 2006,
Caxambu. Anais... Rio de Janeiro: Anped. 2006. p.1-17. Disponível em:
pdf>. Acesso em: 1 ago. 2008.
SINGER, Paul. Globalização e desemprego: diagnóstico e alternativas. 4 ed.
São Paulo: Contexto, 2000.
VASAPOLLO, Luciano. O trabalho atípico e a precariedade. São Paulo:
Expressão Popular, 2005.
Publicado
2016-12-19