Avaliações internacionais da Educação e suas bases ontoepistemológicas: o caso da Pesquisa Talis

  • Sonia Regina Landini Universidade Federal do Paraná
  • Gisele M. Pereira Universidade Federal do Paraná

Resumo

Neste trabalho buscamos realizar uma análise da pesquisa TALIS identificando e discutindo os pressupostos epistemológicos, bem como as principais categorias utilizadas na pesquisa. Nessa perspectiva, intentamos salientar a proposição de formação que subjaz a investigação Talis e os impactos relacionados ao acesso aos conhecimentos científicos, artísticos, culturais, e históricos na formação escolar. Tomamos como fonte o documento publicado pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) no ano de 2009, como também os autores que sustentam as principais proposições e análises presentes no documento em questão, destacando os conceitos de autoeficácia, competência e construtivismo.

Biografia do Autor

Sonia Regina Landini, Universidade Federal do Paraná
Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1989), mestrado em Educação: História, Política, Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1997) e doutorado em Educação: História, Política, Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2002). Foi professora em diferentes instituições de ensino, tanto na garduação quanto na Pós-graduação. Atuou como bolsista recém- doutora junto ao Setor de Educação da UFPR, com orientação da Prof.ª Drª Acácia Zeneida Kuenzer.Foi professora adjunto da Universidade Federal de São Carlos. Atualmente é professora do Depto deTeoria e Fundamentos da Educação da Universidade Federal do Paraná e do Programa de Pós-graduação em educação. Atua também Junto ao curso de especialização: Organização do Trabalho Pedagógico. As temáticas nas quais atua são: trabalho e educação, sociologia da educação, formação humana , trabalho, trabalho docente, educação e políticas educacionais, saude do trabalhador em educação.
Gisele M. Pereira, Universidade Federal do Paraná
Doutora em Educação pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), na Linha de Políticas Educacionais (2016) com Estágio Sanduíche na Universidad de Granada (UGR) na Espanha (2014-2015) com financiamento da CAPES. Mestre em Educação pela UFPR, na linha de Políticas e Gestão da Educação (2011). Graduada em Pedagogia pela UFPR (2008). Curso de Habilitação ao Magistério de 1ª - 4ª Série pelo Colégio Estadual Santa Teresinha (1995) e Curso de Estudos Adicionais em Pré-Escolar, no Colégio Estadual Santa Teresinha (1998). Pesquisadora nos Projetos: ?Dimensões, princípios e objetivos de práticas interdisciplinares no ensino superior: um estudo no âmbito da cooperação entre o Brasil e Portugal? (UDESC ? Instituto Politécnico Viseu - 2017); ?Significados atribuídos por educadores/as para a disputa expressa no Plano Nacional de Educação 2014/2024 na retirada dos marcadores sociais da diferença? (UDESC - 2017); ?Pertinência e viabilidade dos Programas TALIS e PISA (OCDE) para as políticas educacionais: perspectivas de estudos comparados? (UFPR - 2017). Professora substituta na UFPR (2009-2010) nas disciplinas: Concepções e Métodos do Trabalho Pedagógico; Educação Comparada; Política e Planejamento da Educação; Organização do Trabalho Pedagógico na Escola; Organização e Gestão da Escola. Atualmente Professora Colaboradora na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) no Curso de Pedagogia a Distância nas Disciplinas de: Estágio Curricular Supervisionado (II, III e IV) e Estrutura e Funcionamento da Instituição de Educação Básica. Pesquisadora nas áreas de Educação Comparada; Políticas Educacionais; Políticas de Avaliação; Formação e Condições do Trabalho Docente; Práxis Pedagógica; Práticas Interdisciplinares; Educação a Distância; Estágio Curricular Supervisionado.

Referências

BANCO MUNDIAL. Educação primária: documento de política do Banco
Mundial. Washington, DC, 1992. In: TORRES, M. R. Melhorar a qualidade da
educação básica? As estratégias do Banco Mundial. In: TOMMASI, L.; WARDE,
M. J.; HADDAD, S. (Org.). O Banco Mundial e as políticas educacionais. 2.
ed. São Paulo: Cortez; 1998
BANDURA, A. Personal and collective efficacy in human adaptation and
change.In. AIDAR, J.G., BELENGER,D. & DION, K.L. (Eds) Advances in
psychological science. VOL 1. Personal, social and cultural aspects. Hove,UK,
Psychology Press, 1998.
BANDURA, A. Swimming against the mainstream: the early years from chilly
tributary to transformative mainstream. Behavior Research and Therapy, 42
(10),2004 613-630
______. The evolution of social cognitive theory. In: Smith,K.G.; Hitt, M.A.
Great minds in management. Oxford University Press, 2005, p. 9-35.
BORON, A. A. El Estado y las “reformas del Estado orientadas al mercado”:
Los “desempeños” de la democracia en América Latina. In: KRAWCZYK,N. R; WANDERLEY, L. E. (Orgs). América Latina: Estado e reformas numa
perspectiva comparada. São Paulo: Cortez, 2003, p.19-68.
BOURDIEU, P. Escritos de Educação. In: NOGUEIRA, Maria Alice; CATANI,
Afrânio.
(orgs.). Pierre Bourdieu: escritos de educação. 9. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes,
2007.
BZUNECK, J. A. As crenças de auto-eficácia dos professores. Fermino F.Sisto;
Gislene de C. Oliveira; e Lucila D.T. Fini (Org.) Leituras de Psicologia para
Formação de Professores. Petrópolis (Brasil), Editora Vozes, 2000, PP.115-134.
Disponível em http://www.uky.edu/~eushe2/Pajares/Bzuneck1.pdf
CARNAP, Rudolf. Testabilidade e Significado. São Paulo: Abril Cultural, 1973,
p. 177-225. (Coleção Os Pensadores).
CARVALHO, L. M. Governando a Educação pelo Espelho do Perito: uma análise
do PISA como instrumento de Regulação. Educação e Sociedade, Campinas,
vol. 30, n. 109, p. 1009-1036, set./dez. 2009. Disponível em: Disponível em
http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em: 23/08/2010.
FREITAS, L.C. de. A avaliação e as reformas dos anos de 1990: novas formas
de exclusão, velhas formas de subordinação. Educação e Sociedade, Campinas,
vol. 25, n. 86, p. 133-170, abril 2004.
HARVEY, D. A condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992.
IANNI, O.O declínio do Brasil-nação. Estudos avançados.,2000,
vol.14, n.40, pp. 51-58.
LUKÁCS, G. Neopositivismo. Para uma ontologia do ser social. Roma: Reuniti,
1981. Trad. preparada por Mário Duayer. Versão preliminar, s.d.
MACHADO, L. R. de S.. Educação Básica e Empregabilidade. In: Revista
Trabalho e Educação. Belo Horizonte, NETE / FAE / UFMG, jan / jul – 1998,
nº 3.
OCDE. Organisation for Economic Co-operation and Development.Teachers
matter: attracting, developing and retaining effective teachers. Synthesis report.
Paris: OCDE, 2005. Disponível em http://www.oecd.org/ education/ school/
attractingdevelopingandretaining effectiveteachers-homepage.htm. Extraído
em outubro de 2012
______. Creating Effective Teaching and Learning Environments. Teaching And
Learning International Survey (TALIS), Paris: OCDE. 2009. Disponível em:
http://www.oecd.org/education/school/43023606.pdf.Extraído em outubro
de 2012PEREIRA, G.A.M. Brasil e Argentina: Um Estudo Comparado das Reformas
Educacionais a partir do PISA 2000. Dissertação (Mestrado) – Setor de
Educação. UFPR, Curitiba, 2011, 247p.
PERRENOUD, P. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre:
Artmed, 1999
PIAGET, J. Problemas de psicologia genética. Petrópolis: Vozes, 1972
RIZO, F. M. PISA en América Latina: lecciones a partir de la experiencia de
México de 2000 a 2006. Revista de Educación, Madrid, n. extra, p. 153-
167, mar./ 2006. Disponível em: www.revistaeducacion.mec.es. Acesso em:
23/07/2010
SCHLEICHER, A. Fundamentos y cuestiones políticas subyacentes al desarollo
de PISA. Revista de Educación, Madrid, n. extra, p. 21-43, mar./2006.
Disponível em: www.revistaeducacion.mec.es. Acesso em: 23/07/2010.
SILVA Jr., J. dos R. & GONZALEZ, J. L. C. Formação e trabalho - Uma
abordagem ontológica da sociabilidade. 1. ed. São Paulo: Xamã, 2001.
SOUZA, S. Z. LIAN de, OLIVEIRA, R P. de políticas de avaliação da educação
e quase mercado no Brasil Educação e Sociedade., Campinas, vol. 24, n. 84,
p. 873-895, setembro 2003.
STROOBANTS, M.. A Visibilidade das Competências. In: ROPÉ, Françoise &
TANGUY, L. (orgs.). Saberes e Competência: o uso de tais noções na escola
e na empresa. Campinas-SP: Papirus, 1997.
URETA, C. V. de M. Presentación: Una visión integral de las evaluaciones
del PISA (OCDE) con especial atención a la participación de España. Revista
de Educación, Madrid, n. extra, p. 13-18, mar./2006. Disponível em: www.
revistaeducacion.mec.es. Acesso em: 23/07/2010.
Publicado
2017-05-19