Mercado editorial escolar do século XXI: livros didáticos, apostilas e formação de professores

  • Célia Cristina de Figueiredo Cassiano

Resumo

No início do século XXI, o mercado editorial escolar do Brasil foi substancialmente alterado, dado que passou da concentração das editoras familiares para o oligopólio dos grandes grupos empresariais (nacionais e internacionais). Assim, agressivas estratégias de marketing e novos produtos, tais como os sistemas de ensino (comercialização de apostilas e assessoria pedagógica integral às escolas) e cursos de formação de professores chegam à escola pública pelas grandes editoras de didáticos do país, que já eram fornecedoras do governo por conta dos livros didáticos adquiridos pelas gigantescas vendas feitas por meio do Programa Nacional do Livro Didático – PNLD. Editora Positivo (tradicional grupo empresarial vinculado à comercialização de apostilas e computadores); Editora Moderna (empresa do poderoso grupo espanhol Santillana); Ática e Scipione (do Grupo Abril); FTD e Saraiva disputam esse novo mercado. Neste artigo apresento e analiso como esses fenômenos atingem a escola pública da educação básica brasileira, buscando elementos para entender a complexidade do currículo desenvolvido nas escolas, dado que nossa abordagem nos faz estabelecer os estreitos vínculos entre Estado, economia, cultura e educação.

Publicado
2018-11-06