As Articulações entre a Pedagogia e o Campo Psi no Governamento da Infância

  • Maria Isabel Edelweiss Bujes Universidade Luterana do Brasil

Resumo

Neste trabalho empreendo discussão que se propõe a estabelecer articulações entre discursos pedagógicos e formulações do campo psi. Parto da hipótese de que, no afã de se tornar científica, a pedagogia foi buscar no campo da psicologia evolutiva, hoje psicologia do desenvolvimento, um conjunto de saberes sobre a criança, a partir de pressupostos que centravam tais características e processos no desenvolvimento das estruturas e do funcionamento mentais. Analiso, então, a partir de uma teorização de inspiração pós-estruturalista, formulações discursivas provenientes destes dois campos, indicando seus enlaces, seus interesses compartilhados, seu compromisso com regimes de verdade específicos. Também destaco, através de uma revisão histórica, como a pedagogia vai buscar nos saberes da área
psi a autoridade para auto-outorgar-se o rótulo de pedagogia científica (mas também moderna e experimental). São os saberes da área “psi” que constituem uma forma de inteligibilidade e um regime de enunciação que mostra que as práticas pedagógicas, para serem exercidas, dependem de diagnósticos, de formas de classificação, de categorias e definições fornecidas pelos saberes teórico-práticos das “ciências psicológicas”. Ao apontar as estreitas vinculações entre a educação contemporânea e a marca psi, o estudo destaca como tais vinculações servem de justificativa para o governamento das crianças e das coisas a elas associadas. São formas de conhecimento do campo psi que produziram e continuam a produzir todo um aparato teórico para a avaliação, o cálculo e a intervenção educativa.
Oferecem, assim, um arsenal conceitual para descrever, categorizar, classificar os seres humanos, desde a mais tenra idade, permitindo às
autoridades públicas e privadas utilizarem-se de um regime de enunciação para justificar seu governo dos homens e das coisas.

Publicado
2018-08-17