Pespectivas político-educacionais da reforma Francisco Campos em Minas Gerais: os princípios da escola nova na legislação mineira

  • Pâmela Faria Oliveira Universidade Federal de Uberlândia.
  • Carlos Henrique de Carvalho Universidade Federal de Uberlândia.

Resumo

A intenção deste artigo é compreender e identificar, nas especificidades de Minas Gerais, como a Reforma Francisco Campos incorporou os ideais do movimento escolanovista, então vistos como parte de um projeto de modernização do país, e atentar para as mudanças proporcionadas por ela ao ensino mineiro, na primeira metade do século xx, com base em leis e decretos educacionais promulgados durante o governo de Antônio Carlos. O objetivo da Reforma era difundir a escola primária no estado, bem como visualizar e possibilitar o controle social, fundamental à formação da “cidadania controlada”, ou seja, dentro do ideário das elites republicanas mineiras.

Biografia do Autor

Pâmela Faria Oliveira, Universidade Federal de Uberlândia.
Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Uberlândia. Professora da Escola de Educação Básica da Universidade Federal de Uberlândia.
Carlos Henrique de Carvalho, Universidade Federal de Uberlândia.
Doutor em História pela Universidade de São Paulo. Professor da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Uberlândia.

Referências

CAMPOS, Francisco Luis da Silva. Pela civilização mineira. Belo Horizonte:
Imprensa Oficial, 1930.
CURY, Carlos Roberto Jamil. Cidadania republicana e educação: governo
provisório do mal. Deodoro e Congresso constituinte de 1890–1891. Rio de
Janeiro: dp&a, 2001.
CURY, Carlos Roberto Jamil. Projetos republicanos e a questão da educação
nacional. In: vago, Tarcísio Mauro et al. (Org.). Intelectuais e escola pública
no Brasil: séculos xix e xx. Belo Horizonte: Mazza, 2009.
LOURENÇO FILHO, M. B. Introdução ao Estudo da Escola Nova. São Paulo: Melhoramentos, 1964.
MARSHALL , T. H. Cidadania, classe social e status. Rio de Janeiro: Zahar
Editores, 1967, p. 73.
MINAS GERAIS. Constituição (1891). Constituição do Estado Federado de Minas Gerais: promulgada em 15 de junho de 1891. Ouro Preto: Sala das Sessões do Congresso Constituinte Mineiro, 1891.
MINAS GERAIS. Decreto 7.970. Regulamento do Ensino Primário de Minas
Gerais: promulgado em 15 de outubro de 1927. Uberaba: Palácio da
Presidência do Estado de Minas Gerais, 1927a.
MINAS GERAIS. Mensagem presidencial do presidente Antônio Carlos Ribeiro de Andrada dirigida ao Plenário em 1927b. In: arquivo público mineiro/apm. Relatórios de mensagens do governo mineiro — mensagens presidenciais de Antônio Carlos Ribeiro de Andrada. Filme 5 e 6, gaveta B1.
MINAS GERAIS. Mensagem presidencial do presidente Antônio Carlos Ribeiro de Andrada dirigida ao Plenário em 1928. In: arquivo público mineiro/apm. Relatórios de mensagens do governo mineiro — mensagens presidenciais de Antônio Carlos Ribeiro de Andrada. Filme 5 e 6, gaveta B1.
MINAS GERAIS. Mensagem presidencial do presidente Antônio Carlos Ribeiro de Andrada dirigida ao Plenário em 1930. In: arquivo público mineiro/apm. Relatórios de mensagens do governo mineiro — mensagens presidenciais de Antônio Carlos Ribeiro de Andrada. Filme 5 e 6, gaveta B1.
RODRIGUES, Almerinda M. R. V. O movimento da Escola Nova no sul de
Mato Grosso: uma análise de suas contribuições para a educação do Estado na primeira metade do século xx. Dissertação (Mestrado em História) —Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Dourados, 2006.
VALDEMARIM, Vera Teresa. História dos métodos e materiais de ensino: a escola nova e seus modos de uso. São Paulo: Cortez, 2010.
VIDAL, Diana Gonçalves. Modernismos, modernidades e educação: o lugar dos intelectuais no Brasil dos anos 1930. In: vago, Tarcísio Mauro et al. (Org.). Intelectuais e escola pública no Brasil: séculos xix e xx. Belo Horizonte: Mazza, 2009.
WEREBE, Maria José Garcia. Grandezas e misérias do ensino no Brasil. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1968.