A comunicação suplementar e/ou alternativa: formação de professores

  • Simone I. Krüger
  • Ana Paula Berberian
  • José Luiz Lima
  • Elba Neri Moreira de Miranda

Resumo

O objetivo da pesquisa é analisar aspectos relativos à formação acadêmica e continuada, relacionados ao tema
Comunicação Suplementar e/ou Alternativa (CSA), por parte de professores inseridos no contexto da educação
especial. A pesquisa de campo foi realizada junto a professores de três escolas especiais de Curitiba e Região
Metropolitana, sendo duas públicas e uma privada. 50 professores foram entrevistados a partir de um questionário
semi-estruturado. Desses 50 docentes, 36% responderam que usam tais recursos, enquanto 64% não fazem uso
dos mesmos no contexto escolar. A participação dos professores em cursos, depois de concluída a graduação,
que abordassem o tema, não teve impacto positivo sobre o uso de tal recurso. Quanto ao tipo de intervenção
realizada pela escola, 9/11 entrevistados responderam que foram na maioria palestras e orientações promovidas
pelos próprios profissionais da equipe técnica/pedagógica da respectiva instituição, tendo tais intervenções uma
carga horária em geral inferior a 5 horas-aula. Se considerarmos que tais professores estabelecem cotidianamente
interações com alunos com graves comprometimentos de oralidade, possivelmente fazendo uso de algum tipo de
recurso de CSA, grande parte desses docentes não reconhece ou concebe tais recursos propriamente como CSA. Para
superação de tal situação, ressaltamos a necessidade da implementação de ações voltadas a uma formação continuada
comprometida com o saber-fazer do professor, pautada em parcerias entre os profissionais envolvidos.