Processos Interacionais na Urbe Contemporânea

  • Samantha Manfroni Filipin Rovigatti

Resumo

O artigo propõe uma reflexão acerca da noção de cidade na contemporaneidade e seu caráter comunicacional. São
analisadas formas de interação e de comunicação em instalações que utilizam o espaço público como palco para
experimentações tecnológicas e midiáticas, tendo a arquitetura como partícipe do processo. Especificamente são
mostrados modos de apropriação por mídias transitórias, como as projeções mapeadas, cujo caráter interacional
propicia novas inscrições no espaço urbano, explorando-o de modo lúdico e efêmero. O aporte tecnológico
é vital para a realização desses eventos e corrobora para a manutenção visual do espaço físico, visto que são
apropriações transitórias que não deixam marcas visíveis na cidade. O artigo analisa uma instalação urbana do
grupo NOX, inserida no conceito de espaço aumentado de Lev Manovich. Traz visões que entendem a cidade e
a arquitetura como espaços que perpassam a materialidade e adentram o campo da imaterialidade, sobrepondose
e interligando o espaço físico e o de dados. E considera que as múltiplas apreensões informacionais e visuais
no que concerne à cidade contemporânea são condizentes com a pluralidade por ela representada.