Do todo à parte: curso e percurso do jornalismo especializado em saúde

  • Amanda Souza de Miranda

Resumo

Este artigo destina-se à reflexão histórica do curso e do percurso de jornalismo científico no Brasil e de sua
segmentação. Nossa proposta é entender como o jornalismo especializado em saúde, aqui entendido como
uma segmentação do jornalismo científico, passou a ocupar o espaço que possui hoje na pauta dos veículos de
comunicação. Até o século XIX, na América Latina, eram profissionais ligados à Ciência que escreviam sobre
as novidades da área. A partir do século XX, um novo movimento levou ao destaque a figura do jornalista
especializado em Ciência, profissional preparado para falar sobre o tema para públicos cada vez mais amplos. Mas
é na virada do século XX para o século XXI que identificamos movimentos mais marcantes de segmentação do
jornalismo científico. Ao invés de ocupar-se do todo e do complexo universo das ciências, os profissionais e os
veículos passaram a dividi-la em áreas diversas, de forma cada vez mais especializada. Surgem, aí, o jornalismo
tecnológico, o jornalismo ambiental e, como interesse desta reflexão, o jornalismo especializado em saúde. A
nossa proposta é entender, com base nessa linha do tempo, por quais fenômenos passou o jornalismo e que
conflitos viveu a sociedade para que a saúde passasse a se configurar como uma das principais pautas dos
grandes veículos de comunicação do país.