Saúde e excesso de peso de motoristas da rede urbana

  • Gislei Mocelin Polli
  • Gédeas Silva

Resumo

O presente estudo teve como objetivo estimar a prevalência de excesso de peso entre motoristas de ônibus de
uma capital brasileira. Além de identificar fatores associados, buscou-se também conhecer qualidade e estilo
de vida. Participaram do estudo 103 motoristas do sexo masculino, a maior parte (78,70%) classificada com
excesso de peso e sobrepeso. Cerca de um quarto (26,2%) apresentou risco para desenvolvimento de doenças
crônicas. Em relação ao estilo de vida percebeu-se que 47,6% não evitam o consumo gordura, frituras e doces;
e 62,1% não praticam atividades físicas moderadas ou intensas. Quase a metade (43,7%) não cuida da pressão
arterial e colesterol. Tais resultados podem contribuir para conscientização da necessidade de incentivo a um
estilo saudável, visando melhorias na qualidade de vida.