O Grito tem que ser Potente

Karol Conka e o empoderamento nas composições de RAP feminino paranaense

  • Caio Oliveira Universidade Tuiuti do Paraná
  • Clara Eliana Cuevas Colégio de México

Resumo

Neste artigo analisamos algumas composições de Karol Conka em diálogo com produções teóricas referentes ao empoderamento feminino e a resistência ao racismo. Para auxiliar nossa análise, utilizamos conceitos problematizados por Judith Butler em Problemas de Gênero e de Sueli Carneiro em Mulheres em Movimento. Desta forma, propomos uma reflexão inicial sobre a presença do feminismo e dos debates entre gênero e raça que podem ser encontrados em músicas de Conka, de forma a pensar como estas subjetividades formam parte da cultura musical do RAP feminino paranaense.

Publicado
2018-11-06