Ciências Humanas, Letras e Artes

  • Vários autores

Resumo

A pesquisa parte do interesse nas formas de produção e construção das imagens fotográficas na contemporaneidade. Há diversas possibilidades de construção destas imagens, sendo que o foco desta pesquisa é a idéia de apropriação de imagens como meio de criação e resignificação. Partimos do levantamento de alguns artistas que utilizam a idéia de apropriação, e buscamos um diálogo com os teóricos de arte e da fotografia na compreensão da produção dessas imagens. Ao pensarmos a função histórica da fotografia, a do registro, vemos que com o passar do tempo, há um esgarçamento da obsessão pela representação, e neste aspecto o modernismo, e depois os artistas e fotógrafos contemporâneos, colaboraram para que este meio desenvolvesse suas potencialidades criativas. Pensar a fotografia contemporânea hoje é tentar entender a aproximação com vários suportes e entendê-las como linguagem autônoma...Interessante pensar sobre a fotografia na contemporaneidade como força do simulacro, criando um duplo como imagem de imagens...deveríamos pensar – e nisso a produção contemporânea tem nos ajudado – em enxergar a imagem como um mero ponto de vista sobre determinado assunto, uma opinião própria, portanto passível de ser construída....A imagem fotográfica, polissêmica por natureza, nos dá esse privilégio de uma leitura múltipla. E parece que é nessa direção que tem se voltado nossa produção fotográfica. (PERSICHETTI, pp. 86 a 89) Defrontamos-nos com o que diz Persichetti (2002), quando resume algumas das características fundamentais da produção fotográfica contemporânea, o simulacro como criando o duplo em diálogo com vários suportes e o desenvolvimento de uma linguagem autônoma e polissêmica, possibilitando inúmeras formas de leitura e produção. Para compreender as diferentes facetas da produção fotográfica, é necessário comprender seus modos de produção, sendo que muitas das imagens fotográficas atuais fogem do espetacular ou sensacional, muitas vezes simples, mas, no entanto, cheias de significados além de transgressoras.

Publicado
2018-06-19
Seção
Artigos