O ENSINO DE LÍNGUA ESPANHOLA NO PROCESSO DE FORMAÇÃO DO ALUNO DE ENSINO MÉDIO

  • Vários autores

Resumo

O ensino-aprendizagem de línguas estrangeiras está presente na formação humana desde os primórdios da história. Vários foram os idiomas, as metodologias adotadas e os objetivos almejados. Em determinados momentos da história valorizou-se o conhecimento do latim e do grego adotando-se o método da gramática-tradução com o objetivo de garantir o acesso à literatura clássica, enquanto que em outras ocasiões privilegiaram-se línguas modernas, métodos modernos (para a época em que foram utilizados) e fins diversos. Muito se tem discutido sobre os objetivos da Educação Básica e do papel da disciplina de língua estrangeira no currículo escolar no atual momento histórico. Se objetivo da Educação Básica, como está na LDB é “desenvolver o educando, assegurar-lhe a formação indispensável para o exercício da cidadania e fornecer-lhe meios para progredir no trabalho e em estudos posteriores”, é preciso que o ensino-aprendizagem de língua estrangeira contribua para esse fim. No Brasil, atualmente, há uma dicotomia no que se refere ao ensino-aprendizagem de línguas estrangeiras, por um lado há uma orientação dos órgãos oficiais, Secretaria de Estado da Educação do Paraná – SEED-PR e Ministério da Educação – MEC, que privilegia a diversidade de línguas, inclusive há a lei 11.161 que torna obrigatória a oferta de língua espanhola no Ensino Médio, a serem ofertadas e metodologias voltadas para a formação educacional, e por outro, há uma prática monótona e repetitiva de regras gramaticais desvinculada da realidade, o que coloca a disciplina de língua estrangeira numa posição irrelevante e inútil na formação dos estudantes. De acordo com as orientações de documentos oficiais, tanto de textos veiculados pelo MEC como pela SEED-PR, a construção do conhecimento é um processo sócio-histórico e apenas um processo educativo centrado no sujeito, abrangendo todas as dimensões da vida, possibilitará um desenvolvimento pleno das potencialidades do educando. Sendo assim, é preciso que se reflita e se pense em estratégias de ensino de língua espanhola que contribuam para esse processo. Os objetivos deste trabalho serão discutir como o ensino-aprendizagem de espanhol língua estrangeira pode contribuir para a consecução dos objetivos apontados pelos órgãos oficiais; refletir como o trabalho com a língua estrangeira vinculada à cultura pode tornar relevante e significativo o ensinoaprendizagem de língua estrangeira; analisar teorias de leitura em língua estrangeira; elaborar atividades significativas a serem desenvolvidas no ensino-aprendizagem de espanhol com alunos de Ensino Médio.

Publicado
2018-06-19
Seção
Artigos