Programa de gestão da saúde dos trabalhadores da indústria de papel: prevenção de perdas auditivas

  • Paulo Gomes Toledo Filho

Resumo

Salomon (2001). Os instrumentos de pesquisa: exame audiométrico, interrogatório audiológico (anamnese) e o
histórico audiológico, serviram de base para realizar, por meio de um estudo comparativo, o “Gerenciamento
Audiométrico”. Procedimento, este, que nos fornece informação sobre a estabilidade ou piora da audição do
trabalhador exposto a ruídos elevados. Rerultados: A prevalência de audiometrias com PAIR no universo de
trabalhadores com audiometrias alteradas, nos três períodos em que o estudo realizou-se, foi: de ago/2004 a
ago/2005, 44,49%; de ago/2005 a ago/2006, 50% e de ago/2006 a ago/2007, 44,20%. Quanto ao gerenciamento
audiométrico é o instrumento de gestão usado nesse trabalho de pesquisa para avaliar a evolução da perda
auditiva do trabalhador nos três períodos em que foram realizadas as tomadas de dados de saúde auditiva. Por
conta disso, neste estudo ele foi usado entre o primeiro e o segundo período, e entre o segundo e o terceiro
período. O quadro de conservação da audição dos trabalhadores chegou a 93,90% da população estudada. A
evolução dos gerenciamentos audiométricos estáveis de 80,77%, no período de 2005/2006, para 93,30%; no
período seguinte de 2006/2007 demonstra que as ações implementadas desde o início deste trabalho, em agosto
de 2004, portanto durante três anos, deram resultados que podem, aqui, serem verificados. Pode-se verificar
também que a piora auditiva evoluiu de 19,23% em 2005/2006 para 6,10% no período seguinte. A prevalência
de PAIR por faixa etária no período de ago/2006 a ago/2007 foi: 18-30 anos, 4,21%; 31-40 anos, 12,63%; 41-
50 anos, 11,58%; 51-60 anos, 14,74%; mais de 60 anos, 1,05%. Quanto ao gênero, nos três períodos estudados,
em média, a prevalência de indivíduos do sexo masculino foi de 74,30%, e a de indivíduos do sexo feminino, de
25,70%. Dos 95 indivíduos que tiveram audiometrias alteradas no período de 2006/2007, 9 (9,47%) foram do
sexo feminino e 86 ( 90,53%) foram do sexo masculino. Conclusão: O uso do Gerenciamento Audiométrico,
como ferramenta de gestão da saúde auditiva de trabalhadores expostos a ruídos e agentes químicos ototóxicos,
tem grande importância e quando associado à implementação de ações preventivas e educativas traz resultados
significativos na monitoração da saúde auditiva dos trabalhadores. As informações audiológicas (histórico
e anamnese) e o exame audiométrico realizado rigorosamente dentro das especificações da Portaria 19 são
fundamentais para se obter resultados confiáveis. O início de um trabalho de monitoramento da saúde auditiva
deve ter como referência informações seguras sobre a saúde auditiva dos trabalhadores. Também, as mensurações,
sobre os riscos químicos, físicos, biológicos e ambientais aos quais a população de trabalhadores está exposta,
devem ser rigorosamente executadas e monitoradas, periodicamente, sempre que haja dúvidas nas informações
de saúde que serão levantadas ao longo de cada período de monitoração.

Publicado
2018-06-14