Diagnóstico de Doenças Metabólicas em Vacas no Periparto

  • Lucas Gabriel Hübner Müller
  • Welington Hartmann

Resumo

No presente projeto pretende-se estudar métodos diagnósticos referentes às doenças metabólicas comuns em rebanhos
leiteiros, Cetose bovina e acidose ruminal. Para tal pesquisa, foi realizado o teste de Rothera (5 g de nitroprussiato de sódio,
100 mL de água destilada, e 1g de sulfato de amônia) no diagnóstico de cetose bovina em vacas na fase de periparto, buscando
a desordem metabólica em seu estágio subclínico. O reagente em contato com uma gota de sangue, urina ou leite torna-se
roxo quando positivo para corpos cetônicos. Além do referido teste, objetiva-se avaliar desordens metabólicas através de
cruzamento de dados obtidos de Serviço de Controle Leiteiro. Tal análise dispõe os cálculos de relação gordura proteína
(RGP), correlações entre gordura e sólidos totais, proteína e sólidos totais, proteína e sólidos não gordurosos, CCS e sólidos
totais, CCS e sólidos não gordurosos, lactose e sólidos não gordurosos. O local de realização da pesquisa no teste de Rothera
será na Fazenda Pé da Serra, da Universidade Tuiuti do Paraná, localizada em São José dos Pinhais-PR, e em um rebanho de
alta produção leiteira na localizado em Palmeira-PR, e no teste de análise de controle leiteiro em uma fazenda de exploração
leiteira localizada na região noroeste de Santa Catarina. Serão utilizadas 11 vacas em lactação, todas da raça Holandesa, entre
0 e 15 dias de período pós parto para o teste de Rothera, e 82 vacas em lactação, todas da raça Holandesa, entre cinco e 305
dias de período pós parto para análise do controle leiteiro. Estes testes dão origem a precoces diagnósticos, os quais são de
elevada importância uma vez que se evitam decréscimos na produção leiteira dos animais acometidos, e consequentemente
prejuízo aos produtores, principalmente em rebanhos de alta produção. Espera-se padronizar o diagnóstico subclínico de
doenças metabólicas comuns em rebanhos leiteiros através do leite, objetivando a praticidade e viabilidade para o profissional
que o realiza, tratando os agravos precocemente e evitando prejuízos financeiros aos produtores.

Publicado
2018-06-05