SHUNT GASTROCAVAL EXTRA-HEPÁTICO EM CÃES- RELATO DE CASO

  • Alana Sezyshta
  • Jessica Rosa Fontoura
  • Vanessa Ianczkovski
  • Weverton dos Santos Carvalho
  • Carlos Henrique do Amaral

Resumo

O fígado é a maior glândula do organismo, irrigado pelo sistema arterial, venoso hepático e
portal. Está diretamente relacionado ao metabolismo de drogas, proteínas, carboidratos e lipídios e
metaboliza materiais absorvidos no trato gastrointestinal antes que cheguem à circulação sistêmica
(Colville e Bassert, 2010). Shunt portossistêmico constitui comunicação vascular única ou múltipla,
congênito ou adquirido, intra ou extra-hepático, entre o sistema portal e a circulação sistêmica
antes da metabolização hepática, permitindo que o sangue vindo do estômago, baço, pâncreas ou
intestino chegue até a circulação sistêmica sem que ocorra sua passagem pelo fígado. Com esse
desvio há o acúmulo de toxinas na circulação que desencadeia diversos problemas no organismo
(Martins, 2015). O objetivo deste relato é descrever sobre a ocorrência de shunt gastrocaval extrahepático
em um cão da raça Schnauzer miniatura que apresentava sinais neurológicos e alterações
de comportamento.

Publicado
2018-10-09