LINFOMA MULTICÊNTRICO CANINO: RELATO DE CASO

  • Jéssica Eloize Portella
  • Marina Veiga Todeschi
  • Thabata Laccort Bortolato
  • Vinicius Ferreira Caron

Resumo

O linfoma multicêntrico canino é considerado uma das cinco neoplasias mais comuns
em cães, sendo uma neoplasia que possui origem de células linfóides com uma proliferação
anormal destas células, afetando praticamente todo o organismo em especial o sistema linfático
e os tecidos hematopoiéticos. Sua etiologia é considerada multifatorial, considerando fatores
genéticos, predisposição racial (Airedale Terrier, Basset Hound, Cocker Spaniel, Golden Retrievier,
São Bernardo, Scottish Terrier, Rottweiler, Boxer, Buldog e Bull Mastiff) e hereditariedade. A
forma multicêntrica do linfoma é a apresentação mais comum da doença e é caracterizada por
linfoadenomegalia superficial em vários linfonodos, geralmente não doloroso (Proença, 2009). O
linfoma multicêntrico pode ser classificado em 5 estágios e 2 sub-estágios, sendo classificado como
primeiro estádio quando se refere a animais que apresentam somente um órgão ou linfonodo afetado
e no segundo estágio todos os linfonodos de uma região estão afetados. Quando há envolvimento
generalizado dos linfonodos o paciente é classificado em estágio 3, e se baço e fígado estiverem
afetados é considerado o quarto estágio. No quinto e último estágio o paciente apresenta alterações
hematológicas e envolvimento de medula óssea além dos outros órgãos já afetados anteriormente.
Os sub-estágios são o A, em que o paciente está assintomático e o B em que apresenta sinais
sistêmicos (Martineau, 2002).

Publicado
2018-10-09