ESPOROTRICOSE FELINA EM BOLSA TESTICULAR – RELATO DE CASO

  • Dennis Dallegrave Peixoto
  • Bruna Moreira do Prado
  • Thabata Laccort Bortolato
  • Crysthian Callegaro da Silva
  • Fabiana dos Santos Monti

Resumo

A esporotricose é uma micose subcutânea piogranulomatosa, causada por fungos dimórficos
do gênero Sporothrix spp (Marques et al., 1993). Acomete o homem e uma grande variedade de
animais. É um fungo que se apresenta na forma micelial entre 25° e 30°C, considerado saprófita
de cascas de árvores e de solos ricos em matéria orgânica. Na forma parasitária, a 37°C, passa a
levedura, crescendo em lesões dermo-epidérmicas, viscerais e ósseas (Xavier et al., 2004). A espécie
mais suscetível à doença é o gato, principalmente machos não esterilizados e semidomiciliados,
devido ao seu comportamento territorialista. Ao se envolverem em brigas inoculam o fungo em
outros animais e no ser humano, por meio de mordeduras e arranhaduras (Corgozinho et al., 2006).
No Brasil, o principal agente etiológico da esporotricose é o Sporothrix brasiliensis (Rocha, 2014)
e como diagnósticos diferenciais citam-se as piodermatites, criptococose e carcinoma epidermoide
(Gontijo, 2011). Neste relato apresentaremos o caso de um gato com lesão em bolsa testicular
secundária à esporotricose

Publicado
2018-10-09