PERITONITE INFECCIOSA FELINA NÃO EFUSIVA - RELATO DE CASO

  • Gabrieli Bochelof
  • Jean Carlos Gonçalves Lopes
  • Ana Carolina Andrade
  • Marcela Vanhoni
  • Fabiana dos Santos Monti

Resumo

Peritonite Infecciosa Felina (PIF) é uma enfermidade infecto-contagiosa, sistêmica, que
acomete gatos domésticos e outros felídeos. É causada por um coronavírus mutado geneticamente
a partir do coronavírus felino entérico (FCoV) (Kipar et al, 2014). Gatos jovens são mais suscetíveis
e o período de incubação é variável. Cerca de 95% da população de gatos é exposta ao vírus
por meio das fezes de animais infectados e o desenvolvimento da doença depende da resposta
imunológica (August, 2011). A PIF classificada “não efusiva” é caracterizada por inflamação
piogranulomatosa multifocal em órgãos como rins, fígado, pâncreas, baço, olhos e, principalmente,
sistema nervoso central. Sua evolução é discreta e crônica, oposta à forma efusiva, que se manifesta
de forma rápida e aguda (Greene, 2015). Geralmente, os sinais clínicos são inespecíficos como
febre intermitente, perda de peso, anorexia e fraqueza muscular. Ataxia, uveíte, hifema, nistagmo,
convulsões, paresia de membros pélvicos, hidrocefalia e icterícia também podem ser observados.
O diagnóstico baseia-se na sintomatologia clínica e exames laboratoriais, que podem resultar em
leucopenia e anemia arregenerativa; relação albumina/globulina diminuída e proteína total/globulina
aumentada; aumento de fosfatase alcalina e alanina aminotransferase; hipoalbuminemia; azotemia;
bilirrubinúria e proteinúria. Para a conclusão do diagnóstico, contudo, é indispensável a realização
do exame histopatológico (Birchard e Sherding, 2008). O objetivo deste trabalho é relatar um caso
de peritonite infecciosa felina não efusiva.

Publicado
2018-10-09