A representação da globalização nos filmes Dot.com e Babel

Denize Correa Araujo

Resumo


A proposta deste artigo é analisar a representação da globalização provocada pela mídia nos filmes Dot.com, do cineasta português Luís Galvão Teles, e Babel, de Alexandro González Iñarritu, diretor mexicano. Ambos os filmes, através de dois suportes midiáticos, contemplam o processo global que a sociedade contemporânea enfrenta na disseminação de notícias. Em Dot.com, a mídia a ser analisada é a Internet, que provoca questões sobre lusofonia, ao passo que, em Babel, a televisão será o objeto de análise. O objetivo geral é conduzir um estudo das aplicações teóricas de Arjun Appadurai e Roland Robertson, de caráter dialético e comparativo, com o intuito de verificar até que ponto a Internet e a TV convergem. Como objetivo específico, são enfatizadas as conseqüências das intervenções midiáticas nos personagens de ambos os filmes. Embora com estratégias diversas, ambos questionam identidade e nacionalidade. Os conceitos de “scapes” de Appadurai, com ênfase em mediascape e ethnoscape fundamentam este estudo, no que se refere à intervenção das mídias em ambos os filmes em questão, assim como o conceito de “glocalização” desenvolvido por Roland Robertson, que embasa a análise das negociações e mediações sobre identidade entre o local, o regional, o nacional e o global, que permeiam os argumentos dos filmes aqui analisados.

Palavras-chave


Representação; Glocalização; Mediascape; Ethnoscape; Lusofonia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Linguagens Universidade Tuiuti do Paraná - ISSN / 1980-5276

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.