Equilibrando os Pratos da Demandas Sociais: A Construção da Profissão de Educador Social e a Pedagogia Social na Formação Docente do Ensino Superior

Arthur Vianna Ferreira

Resumo


Este artigo tem como objetivo refletir sobre a constituição da figura do
educador social no contexto educacional brasileiro desde a organização de
suas práticas educativas para atender as demandas sociais contemporâneas
de discussão sobre a sua categoria profissional, seus direitos e suas limitações na formação docente realizada pelo ensino superior brasileiro. De fato, esse trabalho busca ressaltar para os docentes do ensino superior, e os graduandos de pedagogia e licenciatura, a importância de compreender a construção do educador em espaços não escolar no cenário educacional brasileiro, fortalecendo os processos formativos existentes nas escolas de formação de professores que levam os discentes a construírem práticas pedagógicas fora do ambiente escolar, assim como valorizar a identidade profissional desse educador social que se encontra em constante reorganização, profissional e pessoal, a partir dos serviços prestados às comunidades empobrecidas. O campo teórico da Pedagogia Social se apresenta como uma dessas possibilidades de reflexão nesse campo de trabalho educacional. As consequências da formação de educadores de espaços não escolares solicitará dos indivíduos um perfil de atuação interdisciplinar que o posiciona tanto como sujeito das mediações entre os indivíduos em vulnerabilidade social quanto construtor de práticas educativas que serão utilizadas para o desenvolvimento humano e social das populações empobrecidas.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei 7644, de 18 de dezembro de 1987. Dispõe sobre a regulamentação da atividade de mãe social e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 21 dez. 1987.

______. Lei nº 8069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da

Criança e do Adolescente. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 16 jul. 1990.

FERREIRA, Arthur Vianna. Representações sociais e identidade profissional – elementos das práticas educacionais com os pobres. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2012.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Ed. Paz e Terra,

______. Pedagogia do Oprimido. São Paulo: Ed. Paz e Terra, 2005.

GARRIDO, José Luis Garcia; GRAU, Carmen-José Alejos; SEDANO, Alfredo Rodriguez. Esquemas de Pedagogia Social. Navarra: Ed. EUNSA, 2001.

KHULMANN JR, Moysés. A circulação das idéias sobre a educação das

crianças no Brasil do século XX. In: FREITAS, Marcos Cezar; KHULMANN

JR, Moysés (Orgs.). Os intelectuais na História da Infância. São Paulo: Cortez Editora, 2002. (p. 459-495)

MARCILIO, Maria Luiza. História social da criança abandonada. São Paulo: HUCITEC, 2006.

MORAES, Carmem Sylvia Vidigal. A socialização da força de trabalho:

instrução popular e qualificação profissional no Estado de São Paulo. Bragança Paulista: EDUSF, 2003.

ROMANS, Mercè; PETRUS, Antoni; TRILLA, Jaume. Profissão: Educador

Social. Porto Alegre: Artmed, 2003.

SILVA, Roberto da. Visão e concepções necessárias a Teoria Geral da

Educação Social. In:______; SOUZA NETO, João Clemente; MOURA, Rogério.(Orgs.) Pedagogia Social. São Paulo: Expressão e Arte Editora, 2011.

SOUZA NETO, João Clemente. Pedagogia Social e as Políticas sociais no

Brasil. In: IN: SILVA, Roberto da;______; MOURA, Rogério. (Orgs.) Pedagogia Social. São Paulo: Expressão e Arte Editora, 2009.

VENÂNCIO, Renato Pinto. Famílias Abandonadas: Assistência a crianças de camadas populares no Rio de Janeiro e Salvador. Campinas: Papirus, 1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 CADERNOS DE PESQUISA: PENSAMENTO EDUCACIONAL