A formação para o trabalho científico na formação de professores de Educação Física

Elza Margarida de Mendonça Peixoto, Márcia Morschbacher, Celi Nelza Zulke Taffarel

Resumo


Este artigo relata investigação sobre a formação para o trabalho científico na formação de professores de Educação Física. Pergunta-se: quais são os conhecimentos necessários para a formação de professores de Educação Física para o trabalho científico com consistente base teórica e qual a melhor forma para garantir a assimilação destes conhecimentos? Concluímos que a formação para o trabalho científico demanda o trato com o conhecimento clássico acerca das teorias que vêm sendo desenvolvidas pela humanidade sobre a possibilidade do conhecimento e o critério de verdade, acompanhando este movimento no processo histórico de desenvolvimento do conjunto de teorias do conhecimento que configuram o positivismo, a fenomenologia e o marxismo e seus correspondentes métodos e técnicas de pesquisa, dando atenção especial à expressão destas teorias do conhecimento na Educação Física.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, J. O. A produção de pesquisas em educação física, esporte

e lazer com a temática escola no nordeste brasileiro [1982-2004]: mediações

e possibilidades da educação para além do capital. 2007. 132f. Dissertação

(Mestrado em Educação)-Faculdade de Educação, Universidade Federal da

Bahia, Salvador, 2007.

AVILA, A. A pós-graduação em educação física e as tendências na produção

de conhecimento: o debate entre realismo e anti-realismo. 2008. 221f. Tese

(Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal

de Santa Catarina, Florianópolis, 2008.

ANDERY, M. A. et al. Para compreender a ciência: uma perspectiva histórica.

Rio de Janeiro: Garamond, 2007.

ARANA, H. G.: Positivismo: reabrindo o debate. Campinas: Autores Associados,

BRASIL. Resolução CNE/CES 07/2004, de 31 de março de 2004. Institui as

Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Educação

Física, em nível superior de graduação plena. Brasília, 2004. Disponível em:

. Acesso em:

jan. 2013.

CHAVES, M. F. A produção do conhecimento em educação física nos estados

do nordeste (Alagoas, Bahia, Pernambuco e Sergipe), 1982-2004: balanço e

perspectivas. 2005. 333f. Tese (Pós-Doutorado) – Faculdade de Educação,

Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2005.

COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do ensino de educação física. Cortez:

São Paulo, 1994.______. Metodologia do ensino de educação física. 2.ed. Cortez: São Paulo,

COMTE, A. Discurso sobre o espírito positivo. In: COMTE, A. Curso de filosofia

positiva. São Paulo: Abril Cultural, 1983. p.43-94.

DUARTE, N. Vigotski e o “aprender a aprender”: crítica às apropriações

neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. Campinas: Autores

Associados, 2006.

ENGELS, F. Do socialismo utópico ao socialismo científico. São Paulo: Moraes,

s/d.

______. Ludwig Feuerbach e a filosofia clássica alemã. In: MARX, K.; ENGELS,

F. Obras escolhidas. São Paulo: Alfa Ômega, 1980. p.169-207.

FREITAS, L. C. de. Crítica da organização do trabalho pedagógico e da didática.

ed. Campinas: Papirus, 1995.

GIANNOTTI, J. A. Augusto Comte: vida e obra. In: TRINDADE, H. O

Positivismo. Porto Alegre: UFRGS, 2007. p.19-30.

GOMES, C. M. Pesquisa científica em lazer no Brasil (bases documentais

e teóricas). 2004. Dissertação (Mestrado em Ciência da Comunicação) –

Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

GORENDER, J. Apresentação. In: MARX, K. O Capital (livro I – v. I). São Paulo:

Abril Cultural, 1982. p.07-23.

HUSSERL, E. Investigações lógicas: sexta investigação. São Paulo: Nova

Cultural,1988.

KUNZ, E. Educação Física: ensino e mudanças. Ijuí: Unijuí, 1991.

______. Transformação didático-pedagógica do esporte. Ijuí: Unijuí, 2004.

LE BOULCH, J. Rumo a uma ciência do movimento. Porto Alegre: Artes

Médicas, 1987.

LOMBARDI, J. C. Reflexões sobre educação e ensino na obra de Marx e Engels.

377f. Tese (Livre Docência) – Faculdade de Educação, Universidade

Estadual de Campinas, Campinas, 2010.

LOWY, M. Ideologias e ciência social: elementos para uma análise marxista.

São Paulo: Cortez, 2008.

______. O marxismo ou o desafio do “princípio da carruagem”. In: LOWY,

M. As aventuras de Karl Marx contra o barão de Münchhausen. São Paulo:

Cortez, 2009. p.112-228.MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Metodologia do trabalho científico:

procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações

e trabalhos científicos. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2001.

MARX, K. Prefácio. In: MARX, K. Contribuição à crítica da economia política.

São Paulo: Expressão Popular, 2008.

MELO, A. A. S. de. A mundialização da educação: consolidação do projeto

neoliberal na América Latina – Brasil e Venezuela. Maceió: EDUFAL, 2004.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins

Fontes, 1999.

AUTOR, 2008.

NOZAKI, H. T. Educação física e reordenamento no mundo do trabalho:

mediações da regulamentação da profissão. 2004. 383f. Tese (Doutorado

em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal Fluminense,

Niterói, 2004.

PAULO NETTO, J. Apêndice: de como não ler Marx, ou o Marx de Sousa

Santos. In: PAULO NETTO, J. Marxismo impenitente: contribuição à história

das ideias marxistas. São Paulo: Cortez, 2004. p.223-241.

AUTOR, 2007.

PETIT, A. História de um sistema: o positivismo comtiano. In: TRINDADE, H.

O Positivismo. Porto Alegre: UFRGS, 2007. p.33-62.

POLITZER, G. Princípios fundamentais de filosofia. São Paulo: HEMUS,

PONCE, A. Educação e luta de classes. Tradução José Severo de Camargo

Pereira. 22.ed. São Paulo: Cortez, 2007.

ROSSO, S. Centro de educação física e esporte da Universidade Federal

da Bahia (CEFE/UFBA) - centro de referência popular para a formação de

professores e da cultura corporal da Bahia: realidade e possibilidades de um

espaço público. 2008. 98f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade

de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2008.

SANTOS, B. de S. Tudo o que é sólido se desfaz no ar: o marxismo também? In:

SANTOS, B. de S. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade.

São Paulo: Cortez, 2003. p.23-49.

SANTOS JÚNIOR, C. de L. A formação de professores de educação física: a

mediação dos parâmetros teóricos metodológicos. 2005. 157f. Tese (Doutorado

em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2005.

SAVIANI, D. Educação: do senso comum à consciência filosófica. Campinas:

Autores Associados, 2007.

______. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores

Associados, 2011.

______. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproxima aproximações. 10.ed.

Campinas: Autores Associados, 2008.

______. Plano de Desenvolvimento da Educação: análise crítica do MEC.

Campinas: Autores Associados, 2009.

SAVIANI, D.; DUARTE, N. Pedagogia histórico-crítica e luta de classes na

educação escolar. Campinas: Autores Associados, 2012.

SAVIANI, D. et. al. O legado educacional do século XX no Brasil. Campinas:

Autores Associados, 2004.

SAVIOLLI, M. R.; ZANOTTO, M. L. B. O real é edificado pela razão: Georges

Wilhelm Friedrich Hegel. In: ANDERY, M. A. et. al. Para compreender a ciência:

uma perspectiva histórica. Rio de Janeiro: Garamond, 2007, p.363-393.

SERGIO, M. Motricidade Humana: um paradigma emergente. Blumenau:

FURB, 1995.

SEVERINO, A. J. A fenomenologia: o sujeito e o sentido na construção de uma

eidética da existência. In: SEVERINO, A. J. A filosofia contemporânea no Brasil:

conhecimento, política e educação. Petrópolis: Vozes, 1997. p.103-126.

SILVA, R. V. S. Mestrados em educação física no Brasil: pesquisando suas

pesquisas. 1990. 236f. Dissertação (Mestrado em Ciência do Movimento

Humano) – Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal de

Santa Maria, Santa Maria, 1990.

______. Pesquisa em educação física: determinações históricas e implicações

metodológicas. 1997. 279f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de

Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1997.

AUTOR, 1997.

AUTOR, 2010.

TANI, G. et. al. Educação física escolar: fundamentos de uma abordagem

desenvolvimentista. São Paulo: EDUSP, 1988.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais. São Paulo:

Atlas, 1987.UFBA. Projeto Político-Pedagógico do curso de Licenciatura em Educação

Física. FACED/UFBA-Licenciatura em Educação Física, Salvador, 2010.

Mimeografado.

______. Eixo Abordagens, Métodos e Técnicas de Pesquisa Científica

(minuta). FACED/UFBA-Licenciatura em Educação Física, Salvador, 2013a.

Mimeografado.

______. EDCD48 Abordagens, Métodos e Técnicas de Pesquisa em Educação

Física I. FACED/UFBA-Licenciatura em Educação Física, Salvador, 2013b.

Mimeografado.

______. EDCD56 Abordagens, Métodos e Técnicas de Pesquisa em Educação

Física II. FACED/UFBA-Licenciatura em Educação Física, Salvador, 2013c.

Mimeografado.

______. EDCD64 Abordagens, Métodos e Técnicas de Pesquisa em Educação

Física III. FACED/UFBA-Licenciatura em Educação Física, Salvador, 2013d.

Mimeografado.

VERONEZ, L. F. C. Quando o Estado joga a favor do privado: as políticas de

esporte após a Constituição Federal de 1988. 2005. 376f. Tese (Doutorado

em Educação Física) –Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual

de Campinas, Campinas, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 CADERNOS DE PESQUISA: PENSAMENTO EDUCACIONAL